27.8 C
São Paulo
sábado, junho 15, 2024

Gestão de Acesso

Vazamento de Dados no INSS: Impactos e Desafios para o Setor de TI

Recentemente, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) impôs uma sanção devido a um vazamento de dados no INSS ocorrido entre agosto e...

Gestão de Acesso e Identidade

O que é Gestão de Identidade e de Acesso (IAM)?

A Gestão de Identidade e de Acesso (IAM, do inglês Identity and Access Management) é uma área da segurança da informação que se concentra no gerenciamento das identidades digitais dos usuários e no controle de acesso aos recursos e sistemas da empresa.

Basicamente, uma identidade digital pode representar qualquer coisa que exista no mundo real como empresas, máquinas, aplicações, entre outras. Ela permite provar quem você é quando realiza algum serviço online. Ao se cadastrar em um site, por exemplo, você está criando uma identidade digital.

Levando em consideração que uma pessoa, empresa ou aplicação pode gerar mais de uma credencial em serviços e dispositivos diferentes, é possível que cada uma delas tenha diversas identidades digitais.

A IAM realiza o processo de autenticação (verificação da identidade do usuário), autorização (definição de quais ações o usuário pode realizar) e gestão de credenciais, como nomes de usuários e senhas, além de monitorar o acesso dos usuários e registrar as ações em um registro de auditoria. O objetivo é garantir a segurança da informação e proteger a privacidade dos dados enquanto fornece aos usuários acesso conveniente aos recursos da empresa.

Por que você deve se preocupar com a gestão de acesso e identidades?

A maioria das empresas atualmente utilizam aplicações que permitem o acesso remoto. Esse processo tem se desenvolvido cada vez mais com a popularização do home office e da transformação digital e gera diversos benefícios para a empresa. Por outro lado, não é difícil que um usuário comprometa suas credenciais e exponha a rede e seus ativos de informação a ataques cibernéticos.

Combinado a isso, as ameaças cibernéticas têm aumentado muito, gerando um ambiente de risco para as organizações que precisam proteger seus dados sensíveis e de negócios. Ao utilizar a IAM, é possível prevenir o acesso não autorizado, evitando o vazamento de dados pessoais de clientes e informações estratégicas da empresa.

 As normas regulatórias também estão se intensificando cada vez mais. No Brasil, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é bastante rigorosa com a coleta e armazenamento de dados, principalmente os sensíveis (financeiros, de saúde, entre outros). Empresas que não protegem os dados adequadamente e acabam expondo os clientes podem pagar multas e sofrer sanções judiciais.

Por fim, a gestão de identidade e acesso também permite que você registre e monitore o acesso dos usuários aos recursos da empresa, facilitando a investigação em caso de atividades suspeitas ou violações de segurança.

O que é identidade digital?

A identidade digital é a representação virtual da identidade de uma pessoa ou organização na internet. Ela inclui informações como nome, endereço de e-mail, número de telefone, histórico de compras e outras informações pessoais que estão disponíveis online. Além disso, também inclui identificadores únicos, como usuários e senhas, que permitem aos usuários acessar serviços online, como redes sociais e aplicativos bancários.

 A gestão de identidade digital é importante porque permite aos usuários controlarem as informações que compartilham online e proteger sua privacidade. E, para as empresas, ela tem como benefício garantir a segurança da informação ao evitar a utilização fraudulenta de identidades.

Quais são os principais tipos de controle de acesso?

Existem diversas maneiras de implementar barreiras para realizar o controle de acesso. As mais comuns são:

  •   autenticação com usuário e senha;
  •   biometria;
  •   cartões de aproximação;
  •   reconhecimento facial;
  •   certificados digitais;
  •   aplicações e softwares personalizados.

Eles também podem ser divididos por categorias como:

  •   Autenticação – verificação da identidade de um usuário antes de permitir o acesso a um sistema ou recurso.
  •   Autorização – determina os direitos de acesso que um usuário tem após a autenticação bem-sucedida.
  •   Controle de Acesso baseado em Função (RBAC, na sigla em inglês) – sistema de autorização que atribui permissões a usuários com base em sua função ou cargo na organização.
  •   Controle de Acesso Discricionário (DAC, na sigla em inglês) – sistema de autorização que permite a um administrador ou proprietário do recurso definir explicitamente as permissões de acesso para usuários específicos.
  •   Controle de Acesso Temporário (TAC, na sigla em inglês) – sistema de autorização que permite o acesso a um recurso por um período limitado de tempo.

 Estes são os principais tipos de controle de acesso, e a escolha do sistema adequado depende das necessidades e demandas de segurança da organização. É importante ter em mente que esses sistemas precisam ser implementados de forma segura e precisa para garantir a proteção dos dados e da informação da empresa.

Como implementar a gestão de identidades e acessos?

A implementação da gestão de identidades e acessos (IAM) é um processo que envolve várias etapas. Para começar, ela exige planejamento cuidadoso e atenção aos detalhes. É importante envolver os departamentos de segurança da informação e de TI para garantir a integridade da informação e dos dados. Depois, é possível seguir alguns passos como os citados abaixo para que o processo seja realizado corretamente.

Identificação das necessidades

O primeiro passo consiste em identificar as necessidades da organização em termos de segurança da informação, incluindo o nível de segurança necessário e as informações que precisam ser protegidas.

Definição de políticas

Depois de saber quais são as necessidades, fica mais fácil criar políticas claras de segurança para a gestão de identidades e acessos, incluindo normas para autenticação, autorização e controle de acesso.

Seleção de soluções

Existem diversas soluções de IAM no mercado. É preciso realizar uma pesquisa para verificar quais atendem às necessidades da organização e que estejam de acordo com as políticas de segurança definidas.

Integração de sistemas

O próximo passo é integrar as soluções de IAM com os sistemas e aplicações existentes na organização, permitindo que eles possam funcionar em conjunto.

Treinamento de usuários

Além de fornecer uma boa solução, é preciso que as empresas capacitem seus colaboradores para que saibam como utilizá-las, além de entenderem a importância das normas de segurança, políticas de autenticação, autorização e controle de acesso.

Monitoramento e auditoria

O processo não termina após a instalação da solução de IAM. Para proteger a segurança da rede, também é essencial monitorar e auditar regularmente o uso de identidades e acessos com o objetivo de detectar e prevenir atividades suspeitas ou fraudulentas.