27.8 C
São Paulo
sábado, junho 15, 2024

Microssegmentação

Microssegmentação: O que é e quais são seus benefícios

A microssegmentação se trata de uma ferramenta eficaz que pode ajudar a proteger seu sistema contra ataques cibernéticos. Ela oferece visibilidade de todos os...

Microssegmentação

Microssegmentação é uma forma avançada de segmentação de rede que usa políticas de segurança diferentes para cada servidor, aplicativo ou carga de trabalho exclusivos. Com isso, os administradores de rede conseguem segmentar melhor os seus recursos de rede, fornecendo um nível de proteção mais avançado para os usuários e os sistemas.

 O software de microssegmentação também permite a aplicação das políticas de rede de acordo com as necessidades de conformidade, mantendo seu CDE isolado, por exemplo, garantindo que o restante da rede não esteja sujeito às normas PCI DSS.

 A microssegmentação pode se tornar uma aliada para fornecer a segurança da rede, facilitando a implementação das políticas de segurança zero trust, além de impedir a propagação de ransomware, pois impede que os invasores se expandam dentro da rede. Quanto maior for o nível de segmentação do ambiente, mais seguro ele estará.

Como funciona a microssegmentação?

Na microssegmentação, os administradores dividem logicamente o data center em segmentos de segurança distintos, associando políticas de segurança de acordo com o nível de carga de trabalho individual, além de definir controles de segurança e fornecer serviços para cada segmento único.

 A microssegmentação pode segmentar a rede em partes lógicas, sendo que o elemento de segmentação baseado em software da microssegmentação consegue separar os controles de segurança da infraestrutura subjacente, proporcionando maior flexibilidade para estender a proteção e a visibilidade em qualquer lugar.

Quais são os benefícios da microssegmentação?

A microssegmentação é uma técnica de segurança de rede que proporciona diversos benefícios. Entre eles, podemos citar:

  • Segurança – a microssegmentação permite que os administradores estabeleçam políticas de segurança mais fortes para segmentos mais críticos, como aplicativos e cargas de trabalho individuais. Isso significa que os ataques e ameaças à rede podem ser bloqueados ou limitados a um segmento específico.
  • Facilitação de implementação da segurança Zero Trust – a segurança Zero Trust estipula que não é possível confiar no tráfego ou no usuário até que ele seja verificado, não importa se é externo ou interno. A microssegmentação facilita a implementação dos princípios Zero Trust.
  • Redução de custos – ela também pode reduzir os custos de segurança ao permitir que os administradores usem menos firewalls e outras ferramentas de segurança. Com isso, os custos de hardware e software relacionados à segurança podem ser reduzidos.
  • Escalabilidade – outro benefício é permitir que os administradores ajustem facilmente políticas de segurança à medida que a infraestrutura de rede muda. Assim, os administradores podem escalar sua rede para suportar mais usuários e aplicativos, mesmo se ela estiver na nuvem pública.
  • Redução de danos – ao criar as chamadas “zonas desmilitarizadas” e associar as políticas a cargas de trabalho individuais, o software de microssegmentação limita a capacidade de movimentação do invasor e, mesmo que ele se infiltre na rede, ela pode ser isolada das demais, reduzindo a superfície total de ataque.
  • Conformidade com normas – conforme os regulamentos se tornam mais rígidos, as auditorias de segurança mais comuns e as consequências em casos de não conformidade ficam mais graves, as empresas têm um desafio constante para atender a conformidade. A microssegmentação ajuda nesse aspecto, atendendo a normas de conformidade como as PCI DSS.

Como implementar a microssegmentação?

Se você deseja implementar a microssegmentação em sua rede, a boa notícia é que ela não exige grandes mudanças na infraestrutura de rede ou de aplicativos. A seguir, você confere alguns dos passos necessários para essa implementação: 

  • Escolha as informações que serão segmentadas – o primeiro passo é escolher como ocorrerá essa segmentação, avaliando o nível de risco delas, além do fluxo de comunicação do ambiente.
  • Escolha os métodos de segmentação – a microssegmentação pode ocorrer por diferentes métodos como, por ambiente, por tipo de aplicação, por nível de acesso, entre outros. Escolha o que mais se alinhar aos objetivos de segurança e políticas da empresa.
  • Defina as políticas de segurança – após decidir qual método usar, é preciso estabelecer quais serão as políticas específicas para os grupos, de modo que os usuários tenham acesso apenas às informações necessárias para as pessoas certas.
  • Teste e adapte – monitore essas divisões e corrija possíveis erros, evitando que ocorram problemas como determinados usuários não conseguirem acessar documentos e aplicativos relevantes para desempenhar suas funções.
  • Crie um plano de contenção – é importante ter um plano para caso ocorram incidentes, impedindo que os danos sejam maiores e permitindo que o sistema possa ser recuperado facilmente.

Como a microssegmentação pode ajudar a derrotar o ransomware?

O ransomware é um malware (software malicioso) de extorsão que bloqueia o computador, criptografa os arquivos e exige um resgate para liberá-lo. De acordo com o relatório da Kaspersky, o número de vítimas de ransomware dobrou em 2022, comparado ao ano anterior.

 A microssegmentação pode ajudar a derrotar o ransomware, pois ela permite limitar o movimento lateral do malware dentro da rede, evitando que ele se espalhe. Além disso, ela ajuda a monitorar as atividades específicas de cada rede de modo que, se forem identificados comportamentos suspeitos, ações sejam tomadas para prevenir a ação do malware.

 Por fim, em caso de ataques, ela também facilita que as ameaças sejam mais facilmente isoladas e contidas, reduzindo os riscos de danos à rede e à exploração. Sendo assim, aplicar a microssegmentação pode colaborar para detecção e redução de danos causados por ransomware.

Microssegmentação para o data center na nuvem

Cada vez mais empresas estão usando os ambientes em nuvem para o armazenamento de dados para que os usuários tenham acesso ao data center de forma remota. Apesar desses locais serem restritos e seguros, isso não significa que não precisam de medidas para aperfeiçoar essa segurança, ainda mais levando em conta o aumento dos ataques cibernéticos à nuvem nos últimos anos.

A microssegmentação permite dividir logicamente o data center em segmentos de rede distintos, limitando o espaço de rede que pode ser acessado pelo usuário quando ele acessa os dados. Ele funciona de modo similar ao controle de níveis de acesso, com o diferencial das divisões estarem na estrutura do data center.

 Além de complementar soluções de segurança de rede como o firewall, ela evita a progressão lateral do invasor, impedindo que ele explore dados e informações de qualquer nível presente na nuvem corporativa. Como consequência, mesmo que ocorra um ataque, ele pode ser isolado, reduzindo os danos.