22.8 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024

Segurança da informação

Segurança da informação: o que é, pilares e importância

O que é segurança da informação?

A segurança da informação consiste em um conjunto de ações voltadas para a proteção dos dados. Isto é, atitudes focadas em garantir a segurança, a integridade e a confidencialidade das informações com o objetivo de protegê-las contra invasões e outros tipos de crimes virtuais. Com um sistema seguro, por exemplo, é possível evitar que pessoas não autorizadas tenham acesso a determinadas áreas da empresa. Fora que o controle de acessos auxilia, também, a monitorar o que de fato está acontecendo.

Qual é a importância da segurança da informação?

A segurança da informação é importante para pessoas físicas, jurídicas e, até mesmo, órgãos governamentais. No caso do usuário físico, ela protege os seus dados, evitando ataques cibernéticos que vão desde fraudes financeiras até vazamentos de fotos e arquivos pessoais. Já para empresas (de todos os tamanhos), ela proporciona a proteção dos seus documentos e todas as informações contidas ali, sejam elas do seu empreendimento ou dos seus clientes. Como resultado, auxilia, também a:

  •   identificar possíveis ameaças, agindo de modo preventivo;
  •   encontrar brechas de segurança e promover a proteção de dados sigilosos;
  •   preservar a integridade do negócio e oferecer segurança aos clientes;
  •   garantir o sigilo de informações internas e de terceiros, entre outras vantagens.

Lembrando que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi instaurada em 2018. Nela, são abordados os cuidados que as empresas devem ter com os dados de terceiros. Logo, mesmo que tenha sido provocado por um ataque cibernético, o vazamento de informações pessoais é responsabilidade da empresa, podendo causar prejuízo financeiro e problemas judiciais. Além disso, a segurança da informação é crucial para órgãos governamentais, pois eles lidam com informações sensíveis e confidenciais, como dados pessoais, financeiros, militares e de inteligência. A falta de segurança adequada pode levar a vazamentos de informações, fraudes, roubo de identidade e outros danos significativos. Além disso, os órgãos governamentais são frequentemente alvos de ataques cibernéticos por parte de hackers e outros agentes maliciosos, que buscam roubar informações valiosas ou causar interrupções no funcionamento dos sistemas.

Como garantir a segurança da informação nas empresas?

Para promover a segurança da informação nas empresas, é preciso, primeiramente, conscientizar toda a equipe. Vivemos em uma era em que passamos os nossos dados pessoais para tudo: participar de um sorteio, ganhar um desconto, baixar um e-book na internet, acessar um aplicativo, entre outros exemplos. No entanto, raramente paramos para pensar nos impactos dessas ações. As empresas devem estabelecer políticas e procedimentos de segurança claros e bem documentados para proteger as informações confidenciais. Isso inclui regras para acesso às informações, uso de dispositivos móveis e senhas, bem como procedimentos para lidar com incidentes de segurança. Também é preciso treinar os colaboradores para que eles saibam como identificar e evitar ameaças de segurança, como phishing e engenharia social. Depois disso, um próximo passo é implementar medidas de segurança cibernética, como firewalls, software de detecção de intrusão, encriptação de dados e monitoramento de atividades anômalas para proteger contra ataques cibernéticos. Em caso de ataques, as empresas devem ter planos de backup e recuperação de dados para garantir que possam recuperar rapidamente as informações perdidas. E, por fim, um último passo, mas não menos importante, é necessário assegurar-se de seguir as regulamentações de segurança de dados aplicáveis, como a Lei de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), no Brasil, e o General Data Protection Regulation (GDPR), na União Europeia.

O que faz um profissional de segurança da informação?

O profissional de segurança de informação é responsável por proteger os dados da empresa. Para isso, o profissional de tecnologia da informação deve ser especialista em segurança da informação e executar funções como:

  •   monitoramento contínuo para detecção de ameaças e avaliação do risco de segurança das informações;
  •   projetar, implementar e gerenciar medidas de segurança, como firewalls, software de detecção de intrusão, antivírus, encriptação de dados e políticas de senhas;
  •   gerenciar e conferir incidentes de segurança quando eles acontecerem;
  •   treinar colaboradores para que eles possam entender o que é necessário fazer para evitar vulnerabilidades que possam expor a empresa à ameaças;
  •   liderar e gerenciar projetos de segurança da informação, incluindo a implementação de novas tecnologias e soluções de segurança.

Segurança da Informação e Segurança em TI

Segurança da Informação e Segurança em TI não são a mesma coisa. A segurança da informação é uma abordagem mais ampla, que se concentra nos dados e informações e não apenas nos sistemas responsáveis pelo armazenamento e gerenciamento desses dados. Segurança em TI, por outro lado, é um conjunto de medidas e práticas que visam proteger os sistemas de TI de uma organização, garantindo sua disponibilidade, confiabilidade e segurança. Ela é voltada para a proteção dos sistemas de TI e cuida do hardware, não necessariamente das informações armazenadas neles.

Quais são os pilares da segurança da informação?

A segurança da informação pode ser resumida em 3 pilares principais. Abaixo descrevemos cada um deles.

Pilar 1: Confidencialidade, Integridade e Disponibilidade

Preservar o sigilo dos dados, a integridade da informação e restringir os acessos. Para alguns, esses são os pontos mais importantes da área, já que estão relacionados a tarefas de rotina, mas que são essenciais para a segurança. A confidencialidade se refere à garantia de que as informações confidenciais só sejam acessadas por pessoas autorizadas. Já a integridade se trata de garantir a integridade dos dados, ou seja, da garantia de que as informações mantenham sua precisão e autenticidade ao longo do tempo e não sejam alteradas sem autorização. Por fim, a disponibilidade se refere à garantia de que as pessoas autorizadas possam acessar as informações disponíveis.

Pilar 2: Prevenção, Detecção e Resposta

Este pilar sobre segurança da informação inclui prevenir ameaças, detectar ameaças existentes e responder a incidentes de segurança. A prevenção se concentra em impedir que ameaças ocorram, através da implementação de políticas de segurança, procedimentos, treinamento de segurança e mecanismos de segurança cibernética. Por sua vez, a detecção se trata de monitorar o ambiente para detectar ameaças existentes e avaliar o risco de segurança das informações. Enquanto isso, a resposta é sobre lidar rapidamente e eficazmente com incidentes de segurança, incluindo investigação, contenção e recuperação. Pilar 3: Tecnologia, Processos e Pessoas Este pilar se concentra nas três principais áreas de segurança da informação: tecnologia, processos e pessoas. A tecnologia inclui as ferramentas e sistemas usados para proteger as informações, como firewalls, software de detecção de intrusão e encriptação de dados. Os processos, por sua vez, incluem as políticas e procedimentos de segurança, bem como os processos de gerenciamento de incidentes de segurança. Já as pessoas trata de funcionários, usuários e outros indivíduos envolvidos na proteção das informações, incluindo treinamento, conscientização e responsabilidade.