20.4 C
São Paulo
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Virtualização

Virtualização: o que é e para que serve

O que é virtualização

A virtualização é o processo de criar uma representação virtual de algo, como um sistema operacional, hardware ou recurso de rede. Isso permite que vários sistemas ou recursos compartilhem um único hardware físico, melhorando a eficiência e flexibilidade. A virtualização também pode ser usada para criar ambientes de testes isolados, migrar sistemas antigos para novos hardwares ou fornecer acesso remoto a recursos computacionais. A tecnologia de virtualização tornou-se uma grande aliada das empresas, que podem fazer mais com os mesmos recursos físicos. Com isso, fica mais fácil realizar a otimização de investimentos em infraestrutura e hardware, além de aumentar a produtividade com as vastas possibilidades que a tecnologia oferece.

Como funciona a virtualização?

A virtualização funciona criando uma camada de software chamada “hypervisor” que é instalada na máquina física. O hypervisor é responsável por gerenciar os recursos físicos (como CPU, memória, armazenamento e rede) e alocá-los para as máquinas virtuais (VMs) que estão sendo executadas. Cada VM é uma instância completa de um sistema operacional. Ela parece ter acesso exclusivo aos recursos físicos, mas na verdade eles são compartilhados pelo hypervisor. Existem dois tipos de hypervisors:

  •   O tipo 1 (ou “bare-metal”) é instalado diretamente no hardware físico e é responsável por gerenciar os recursos físicos e alocá-los para as VMs.
  •   O tipo 2 (ou “hosted”) é instalado em um sistema operacional existente e gerencia as máquinas virtuais dentro desse sistema operacional.

Quais os benefícios da virtualização?

A virtualização é um processo que permite criar uma camada de software (chamada de “máquina virtual”) que simula um ambiente físico completo para sistemas operacionais e aplicativos. Isso significa que você pode executar vários sistemas operacionais e aplicativos em um único computador físico, sem que eles interfiram uns com os outros. Existem vários benefícios da virtualização. Um dos principais é a economia de recursos. Ao invés de ter vários servidores físicos, cada um com seu próprio sistema operacional e aplicativos, você pode executar vários sistemas virtuais em um único servidor físico. Isso pode economizar espaço, energia e custos de manutenção. Outro benefício é a segurança. Os sistemas virtuais são isolados uns dos outros, o que significa que, se um sistema for comprometido, os outros sistemas virtuais não serão afetados. Além disso, é mais fácil restaurar um sistema virtual do que restaurar um sistema físico, o que pode reduzir o tempo de inatividade em caso de falha ou ataque. A virtualização também permite a migração fácil de sistemas e aplicativos para nuvens públicas ou privadas. Isso significa que você pode mover seus sistemas e aplicativos de um ambiente local para a nuvem sem precisar modificar o código ou reconfigurar o sistema. Além disso, a virtualização também é uma ferramenta poderosa para a gestão e otimização de recursos, tornando possível alocar recursos dinamicamente entre as máquinas virtuais, permitindo ainda monitorar e gerenciar de forma centralizada as máquinas virtuais, e ainda possibilita testar e desenvolver novos sistemas e aplicativos sem afetar a produção. Além disso, ao utilizar um ambiente virtualizado, é possível executar aplicativos em sistemas operacionais antigos. Por exemplo: se você precisa rodar um programa que funciona apenas no Windows 8, mas você tenha atualizado para o Windows 10, com essa tecnologia é possível executar o sistema operacional mais antigo, no mesmo computador.

Quais são os diferentes tipos de virtualização?

Existem várias soluções de virtualização, cada uma com seus próprios objetivos e usos. A tecnologia é bastante versátil e pode ajudar empresas de todos os tamanhos. Veja abaixo os principais usos.

Virtualização de servidores

Esta é a forma mais comum de virtualização e permite que vários sistemas operacionais compartilhem os recursos físicos de um único servidor, aumentando a eficiência de utilização dos recursos e permitindo a consolidação de servidores. Para isso, é utilizado um software especial chamado hypervisor, que cria uma camada de software que simula um ambiente físico completo para cada sistema operacional e aplicativo. Com isso, é possível usar mais eficientemente os recursos do servidor e melhorar a segurança.

Virtualização de armazenamento

Este tipo de virtualização permite que vários dispositivos de armazenamento físicos sejam gerenciados como um único dispositivo virtual. Isso permite que você use mais eficientemente os recursos de armazenamento e melhore a disponibilidade dos dados.

Virtualização de rede

Permite que diferentes redes lógicas sejam criadas em uma única infraestrutura física, permitindo a segmentação de redes e a criação de ambientes de teste e desenvolvimento isolados.

Virtualização de aplicações

Permite que os aplicativos sejam executados em um ambiente virtual, independentemente do sistema operacional no qual foram desenvolvidos. A grande vantagem é que os aplicativos podem ser executados em diferentes sistemas operacionais sem precisarem ser reescritos. É útil em situações como rodar versões antigas em sistemas operacionais atualizados ou na migração entre diferentes plataformas.

Virtualização de desktop

Esta forma de virtualização permite que desktops virtuais sejam executados em um único computador, permitindo que os usuários acessem seus ambientes de trabalho a partir de qualquer lugar. Também é uma forma de utilizar dois ou três sistemas operacionais, como Linux e Windows, por exemplo. Uma empresa bastante famosa que oferece esse recurso é a VMware com o VMware Workstation Player, que pode ser usado tanto em Windows como em Linux. Esses são apenas alguns dos tipos de virtualização mais comuns. Existem outros tipos, como a virtualização de dispositivos, a virtualização de plataformas, a virtualização de aplicativos móveis, e assim por diante.

Como a virtualização ajuda a economizar custos?

A virtualização é uma técnica que permite dividir os recursos físicos de um computador, como CPU, memória, armazenamento e rede, em múltiplos ambientes virtuais. Isso permite que vários sistemas operacionais e aplicativos sejam executados em um único computador físico, sem que eles interfiram uns com os outros. Ao utilizar a virtualização é possível fazer um uso mais eficiente do hardware, pois várias máquinas virtuais compartilham o mesmo hardware – resultando em menos equipamentos para suportar a mesma carga de trabalho e gerando economias significativas em custos de hardware e de espaço de data center. Outro benefício é a redução de desperdício. Com a virtualização, é possível provisionar e desprovisionar rapidamente as máquinas virtuais, o que significa que menos recursos são desperdiçados em máquinas físicas que não estão sendo usadas. Isso ajuda a otimizar o uso dos recursos disponíveis e reduzir os custos operacionais. A virtualização também oferece uma maior flexibilidade, permitindo que as máquinas virtuais sejam movidas e escaladas facilmente, o que significa que os recursos podem ser alocados de forma mais eficiente e flexível. Isso gera um ganho de performance para os times e reduz os custos operacionais. Além disso, a virtualização também permite facilidade de backup e recuperação, tornando possível fazer backup e recuperar rapidamente máquinas virtuais inteiras, o que pode reduzir os custos para manter cópias de segurança. Por fim, ela também permite que as máquinas virtuais sejam atualizadas e mantidas de forma isolada, o que significa que é menos provável que uma atualização ou manutenção cause problemas em outros sistemas, reduzindo os custos operacionais.