22 C
São Paulo
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Sase

Zero Trust: entenda o conceito e a arquitetura de segurança

A Zero Trust, ou confiança zero, é um conceito de segurança que está ganhando popularidade entre as organizações para proteger suas redes e dados....

Secure Access Service Edge (SASE): O que é e como ele pode te ajudar?

O que é Secure Access Service Edge (SASE)?

Secure Access Service Edge (SASE), em português Borda de Serviços de Acesso Seguro, é uma arquitetura de rede inovadora que converte rede e segurança de rede em uma única solução em nuvem, fornecendo acesso seguro e gerenciado a aplicativos e dados em nuvem. Com isso, a segurança e disponibilidade de dados é mantida enquanto eles acessam os aplicativos e dados de diferentes locais. A arquitetura SASE foi descrita pela primeira vez em um relatório em 2019 pela Gartner e expandido em 2022 no 2022 Strategic Roadmap for SASE Convergence. Ela tem como objetivo solucionar a necessidade das empresas que agora contam com mais dispositivos, aplicativos, serviços e dados localizados fora do perímetro da empresa do que dentro. De acordo com a Gartner, os serviços de borda de rede de longa distância (WAN), incluindo redes definidas por software (SD-WAN), são a base para a construção do SASE. Essas redes de longa distância conectam redes locais em grandes distâncias, e movê-las para a borda melhora a conectividade para filiais, usuários de dispositivos móveis e infraestrutura em nuvem. Além disso, os serviços de WAN entregues na borda são mais escaláveis e flexíveis do que as WANs tradicionais baseadas em MPLS.

O que é o Security Service Edge (SSE)?

O Security Service Edge (SSE) é um subconjunto da estrutura SASE e tem como foco a segurança de rede, fornecendo uma camada adicional da borda de rede, verificando e filtrando as solicitações antes de encaminhá-las para os recursos internos da rede. Seu objetivo é proteger a rede das ameaças externas, assegurando que os dados que passam pela borda da rede são seguros.


Qual a diferença entre SASE e SSE?

Basicamente, a Security Service Edge (SSE) é um subconjunto da SASE que se concentra na segurança da rede. Enquanto a SASE é uma estrutura mais ampla que fornece acesso seguro e gerenciado a aplicativos e dados em nuvem e on-premises, o SSE é uma camada adicional de segurança na borda da rede que protege contra ameaças externas e garante a segurança dos dados. O SSE conta com três componentes principais:

  • Acesso à Rede Zero Trust (ZTNA);
  • Agente de segurança de acesso à nuvem (CASB);
  • Gateway seguro da web (SWG).

Aliado a eles, o SSE também é composto por recursos de segurança como firewall como serviço (FWaaS) e o isolamento do navegador remoto (RBI). De modo geral, pode-se dizer que o SASE é uma solução completa para segurança e conectividade, enquanto o SSE é uma solução de segurança específica para a borda da rede.

Que problemas o SASE resolve?

Com a crescente necessidade de trabalho remoto e acesso a aplicações e dados em nuvem, a segurança de acesso se tornou uma preocupação cada vez maior para as empresas, ainda mais levando em consideração que a nuvem é cada vez mais visada por cibercriminosos. O SASE surge como uma solução, fornecendo proteção contra ameaças cibernéticas e garantindo acesso seguro a aplicações e dados, independentemente do local ou dispositivo usado pelos usuários. Confira a seguir alguns problemas que essa tecnologia resolve.

Proteção unificada de dados e prevenção de ameaças

O SASE fornece uma camada de segurança centralizada e consistente para proteger dados e aplicativos em toda a rede, incluindo recursos avançados de segurança, como firewall, VPN e DLP, para proteger contra ameaças cibernéticas.

Controle do ambiente multi-cloud

O uso de múltiplas nuvens (multi-cloud) é cada vez mais comum entre as empresas, pois permite que elas aproveitem as vantagens de diferentes provedores de nuvem. No entanto, gerenciar e proteger esses ambientes multi-cloud pode ser desafiador, a depender da forma como estão distribuídas. O SASE fornece uma solução para esse desafio, permitindo que as empresas administrem seus ambientes multi-cloud de forma segura e eficiente.

Redução dos riscos à segurança

Com essa tecnologia, as empresas podem contar com medidas de segurança de acesso à nuvem, como autenticação multifator e análise de ameaças, que ajudam a garantir que somente usuários autorizados tenham acesso a dados e aplicações críticas. Isso tudo reduz as chances de perda de dados.

Trabalho remoto

O SASE possibilita conectividade de alta velocidade e baixa latência para usuários remotos, dispositivos IoT e aplicativos, qualquer que seja a sua localização. Com isso, as empresas podem fornecer controle de acesso seguro e conectividade de alta qualidade, permitindo que os colaboradores tenham acesso rápido e seguro a aplicações e dados da rede corporativa, independentemente da nuvem onde estão hospedadas.

Migração fácil para nuvem e SaaS

O SASE pode facilitar a migração para um serviço baseado em nuvem e para software como serviço (SaaS) por ser uma solução de segurança nativa na nuvem. Com isso, fica mais fácil adotar soluções de IoT para acelerar a transformação digital, apoiando as equipes na transição e melhorando a experiência do usuário.

Como é composta a arquitetura SASE?

A arquitetura SASE é composta por diferentes componentes que trabalham juntos para fornecer segurança e acesso a aplicativos e dados. Sendo que os principais são:

  • SD-WAN – fornece a capacidade de gerenciar e otimizar o tráfego de rede em uma WAN de forma centralizada e automatizada. Para isso, são utilizados algoritmos e inteligência artificial, com o objetivo de determinar o melhor caminho para o tráfego de dados, otimizando a performance e experiência dos usuários finais.
  • Segurança de rede – é um componente-chave da arquitetura SASE. Ele inclui uma variedade de recursos de segurança avançados, como firewall, VPN, detecção e prevenção de ameaças, gerenciamento de acesso e criptografia. Esses recursos são projetados para proteger a rede contra ameaças cibernéticas, incluindo malwares, ataques de phishing, explorações de vulnerabilidades, entre outros.
  • Identidade e acesso – fornece autenticação e autorização para usuários e dispositivos, permitindo o acesso seguro a aplicativos e serviços e garantindo que somente as pessoas certas tenham acesso aos recursos de rede e aplicativos. Para isso, são utilizados recursos como mecanismos de autenticação, como senhas, certificados digitais ou tokens de segurança, e autorização, onde é estabelecido quais usuários e dispositivos têm acesso a quais recursos.
  • Gerenciamento de políticas – permite a criação e implementação de políticas de segurança e acesso de forma centralizada e automatizada, garantindo que os riscos de segurança sejam mitigados, enquanto assegura que os usuários tenham acesso às informações e recursos de que precisam para realizar suas tarefas.
  • Análise de ameaças – fornece capacidades avançadas de detecção e resposta a ameaças, incluindo inteligência artificial e aprendizado automático, permitindo que o SASE identifique e responda rapidamente a ameaças conhecidas e desconhecidas, protegendo a rede contra invasões e outras formas de ataques.
  • Serviços de borda – fornecem a capacidade de colocar recursos de segurança e acesso próximos aos usuários finais, reduzindo a latência e melhorando a performance. Isso é especialmente importante em redes de longa distância (WAN), onde a latência pode ser um problema.
  • Integração com nuvem – o SASE também permite a integração com várias plataformas de nuvem, incluindo AWS, Azure e Google Cloud, permitindo uma arquitetura multi-cloud.

Todos esses componentes trabalham juntos para fornecer segurança e acesso consistente e seguro a aplicativos e dados corporativos, e os usuários podem estar conectados de qualquer lugar.