22.8 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024
InícioCibersegurançaSegurança da informaçãoBackdoor: entenda o que é e qual a diferença com os trojans

Backdoor: entenda o que é e qual a diferença com os trojans

Backdoors e trojans são softwares maliciosos, que diferem em sua abordagem para atacar um sistema. Um backdoor é um tipo de código malicioso que permite que um invasor obtenha acesso a um sistema sem o conhecimento ou consentimento do usuário. Por outro lado, um trojan é projetado para se disfarçar de software legítimo e, em seguida, realizar atividades maliciosas no sistema.

Backdoors são frequentemente usados ​​por hackers para obter acesso a sistemas e roubar dados ou interromper operações. Eles também podem ser usados ​​para fins de espionagem, como monitoramento de tráfego de rede ou roubo de informações. Os cavalos de Tróia , por outro lado, geralmente são usados ​​para atividades de ataques cibernéticos, como roubo de senhas ou detalhes de contas bancárias.

Neste artigo, discutiremos o que são backdoors e trojans, como eles diferem entre si, e quais medidas você pode tomar para se proteger deles.

  1. O que é backdoor?
  2. O que é um trojan?
  3. As formas de um backdoor
  4. Qual o grande perigo dos backdoors?
  5. Como me proteger das falhas de backdoor?
  6. Por que os hackers usam backdoors e como eles persistem nos sistemas?

O que é backdoor?

Um backdoor é uma maneira de contornar a segurança de um sistema de computador, normalmente explorando uma vulnerabilidade no sistema, ocasinando em uma falha de segurança. Pode ser usado para acessar sistemas, dados e aplicativos que não o usuário não deveria ter acesso.

Há muitas maneiras pelas quais isso pode acontecer, como por exemplo, quando uma rede ou dispositivo não criptografado está conectado a uma rede não segura . Backdoors podem ser usados ​​como um tipo de malware, fornecendo acesso remoto a invasores que, uma vez obtidos, podem roubar informações, causar danos e muito mais.

Os backdoors são usados ​​por hackers para se infiltrar no sistema e roubar dados. Eles também são usados ​​por órgãos governamentais e outras organizações para monitorar comunicações sem autorização.

Hacker aplicando um ciberataque com códigos de computador.

O que é um trojan?

Um Trojan é um tipo de software malicioso ( malware ) projetado para obter acesso total a um sistema de computador sem o conhecimento ou consentimento do usuário. Ele geralmente fica oculto em programas ou arquivos aparentemente inofensivos e, uma vez instalado, pode ser usado para roubar dados, monitorar a atividade do usuário ou até mesmo controlar o computador à distância. Os cavalos de Tróia também podem ser usados ​​para respeitar outros tipos de malware, como ransomware e spyware.

As formas de um backdoor

Backdoors são códigos maliciosos que podem ser inseridos em um sistema de software e permitir o acesso de hackers. Existem diferentes tipos de backdoors e eles podem ser classificados pela maneira como funcionam.

Backdoor de software

Este tipo de backdoor é inserido em um sistema de software que é ativado quando o usuário ou executa. A execução desse tipo de backdoor não permitirá que nenhum alerta ou aviso ansioso na tela ou nos logs, pois foi especialmente projetado para esse fim.

Backdoor de hardware

Esse tipo de backdoor geralmente é embutido em hardware , como placas de circuito, por exemplo, o que os torna difíceis de detectar e remover. Alguns backdoors de hardware costumam ser instalados durante a fabricação, enquanto outros podem ser instalados posteriormente por um engenheiro com acesso físico ao dispositivo.

Computador infestado por vírus malicioso, um risco à segurança.

Qual o grande perigo dos backdoors?

O maior dano do backdoor está na desinformação dos usuários. Alguns backdoors administrativos são protegidos por nomes de usuário e senhas codificados que não podem ser alterados ou até mesmo usam credenciais alteráveis ​​em alguns exemplos.

Normalmente, o proprietário ou usuário do sistema desconhece a existência do backdoor, que se limita ao fabricante do software. Backdoors administrativos integrados podem criar vulnerabilidades de software ou sistema onde invasores criminosos podem obter acesso a sistemas ou dados.

Para dar um passo adiante, os hackers também podem instalar sua própria versão do backdoor no sistema de destino. Isso permite que eles entrem e saiam quando quiserem, e forneça acesso remoto ao sistema, tornando seu sistema uma espécie de escravo.

O malware instalado em um sistema para essa finalidade geralmente é chamado de Trojan de acesso remoto ou RAT e pode ser usado para instalar outro malware no sistema, ou obter dados do usuário para fins fraudulentos.

Ilustração de uma máquina com um monstro de computador em formato de vírus de backdoor.

Como me proteger das falhas de backdoor?

Para se proteger contra backdoors, você deve sempre manter seus sistemas operacionais e atualizados com os patches mais recentes, usar senhas fortes para todas as contas, e usar firewalls ou outras medidas de segurança, como software antivírus. Além disso, você deve limitar o acesso físico aos seus sistemas usando bloqueios em computadores e servidores para impedir que usuários não autorizados obtenham acesso.

Uma senha segura, única e cumprida para suas contas online é uma obrigação para todas as pessoas que desejam proteger seus dados de serem invadidos. Você pode usar um aplicativo gerador de senhas. Existem muitos aplicativos disponíveis na internet que podem gerar senhas de diferentes níveis de complexidade.

Imagem de um computador com vírus instalado na frente, ilustrando perigos de backdoor.

Por que os hackers usam backdoors e como eles persistem nos sistemas?

Os hackers usam backdoors por diversas finalidades. Eles podem querer roubar dados, causar danos ou apenas invadir o sistema. O backdoor mais comum é o Cavalo de Tróia, que vem disfarçado como um arquivo executável com aparência legítima, mas na verdade contém código malicioso projetado para se infiltrar ou danificar um computador.

Alguns hackers usam backbacks porque não são detectados pelo software antivírus, enquanto outros constroem seus próprios programas de backdoor especificamente para essa finalidade.

Os backdoors mais sofisticados são indetectáveis ​​por software antivírus e podem ser usados ​​remotamente sem nenhum acesso físico ao sistema.

Ilustração de um hacker de capuz planejando um ataque de backdoor cibernético, usando técnicas de SEO para concentrar-se na segurança cibernética.

Conclusão

É importante que os usuários entendam como essas ameaças operam e tomem medidas para se proteger delas. A melhor maneira de se proteger contra cavalos de Tróia e backdoors é ter senhas fortes, usar software antivírus e manter os sistemas atualizados com os patches de segurança mais recentes. Além disso, os usuários devem estar cientes de e-mails ou sites suspeitos que possam conter cavalos de Tróia ou backdoors.

Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow em sua caixa de entrada.

Postagens recomendadas
Outras postagens