20.4 C
São Paulo
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
InícioCibersegurançaGerenciamento de RiscosSegurança no e-commerce: como implementar medidas de segurança

Segurança no e-commerce: como implementar medidas de segurança

A segurança do comércio eletrônico é uma grande preocupação para empresas e clientes. Com a prevalência crescente de compras online, é importante garantir que medidas apropriadas sejam implementadas para manter a segurança de dados dos clientes e as informações de pagamento.

Há muitos aspectos diferentes da segurança do comércio eletrônico que precisam ser levados em consideração, como criptografia, métodos de pagamento seguros, hospedagem de servidor segura, entre outros.  

Ter um e-commerce seguro nos dias de hoje é quase um pré-requisito para manter uma boa reputação e gerar vendas online. Em locais físicos, é normal que os lojistas instalem câmeras e contratem seguranças para reduzir as chances de fraude e roubo. Nas lojas virtuais, a atividade criminosa pode vir de várias formas, desde softwares maliciosos até ataques de phishing – e mesmo com o uso de múltiplas ferramentas antifraude, o número de tentativas de contornar esses sistemas continua a aparecer, fazendo do e-commerce desprotegido um alvo fácil. Portanto, este artigo discutirá algumas das medidas de segurança de comércio eletrônico mais importantes que devem ser implementadas para proteger as empresas e seus clientes.

  1. Por que a exposição às fraudes precisa de sua atenção?
  2. Por que a fraude no e-commerce acontece? 
  3. A importância da segurança online ao lidar com dados confidenciais
  4. Como as assinaturas digitais e criptografia mantêm suas transações seguras
  5. Por que as medidas de segurança física são importantes mesmo com proteção digital?
  6. Como melhorar a segurança do seu e-commerce de forma simples: melhores práticas
  7. Seis tipos de fraude de comércio eletrônico
  8. Aos olhos do cliente: o que é buscado para se proteger na hora de fazer compras online?

Por que a exposição às fraudes precisa de sua atenção?

As mudanças no comportamento do consumidor permitiram que o e-commerce crescesse exponencialmente. De acordo com o Global Payments Report, as vendas de e-commerce no Brasil devem crescer 95% até 2025. Com esta demanda do mercado em alta, os cibercriminosos também veem novas oportunidades: fraudes de cartão de crédito, golpes de phishing, ataques de bots, ataques DDoS, entre outros, são algumas das várias formas de ataques cibernéticos. À medida que mais e mais clientes recorrem às compras online, o risco de atividades fraudulentas aumenta. 

Dessa forma, as soluções em segurança de comércio eletrônico podem ajudar as empresas a detectar e prevenir atividades fraudulentas, monitorando o comportamento do cliente, identificando atividades suspeitas e assim, prevenindo perdas financeiras, danos à reputação e muito mais.

Além disso, é importante que as empresas instruam seus clientes sobre como eles também podem se proteger contra fraudes ao fazer compras online. Ao tomar as medidas necessárias para reduzir a exposição a essas atividade de cibercriminosos, as empresas de comércio eletrônico podem garantir que seus clientes tenham uma experiência de compra segura e protegida.

Ilustração de compra segura online com carrinho de mercado cheio no computador.

Por que a fraude no e-commerce acontece? 

Antes de mergulhar nas medidas de segurança, é importante entender as ameaças que sua loja enfrenta.

Uma das ameaças mais comuns às lojas de comércio eletrônico atualmente é a fraude de cartão de crédito. Estima-se que 7 em cada 10 compras online sejam fraudulentas. Portanto, para proteger sua loja contra esse tipo de fraude, você deve usar serviços de pagamento de terceiros, como o PayPal.

A outra grande preocupação é a proteção contra ataques DDoS (negação de serviço distribuída). Sabendo o que são esses ataques, como funcionam, e como é possível se proteger contra eles, você poderá tomar as medidas necessárias para que sua loja não seja comprometida.

Hacker roubando dados confidenciais de um cartão de crédito protegidos para compras on-line, em um destaque de segurança de e-commerce.

A importância da segurança online ao lidar com dados confidenciais

Os dados online estão mais vulneráveis do que nunca. O aumento dos ataques cibernéticos atingiu um ponto em que é difícil acompanhar as novas ameaças que surgem a cada dia. Vimos como as informações pessoais, como números de cartão de crédito, endereços e documentos como RG e CPF, são usadas para spear phishing ou roubo de identidade.

A etapa mais importante para proteger seus dados online é ficar atento ao que você compartilha na Internet. É melhor não expor muitas informações pessoais online e não baixar arquivos de fontes desconhecidas.

Computador seguro com cadeado digital para proteção de dados de e-commerce.

Como as assinaturas digitais e criptografia mantêm suas transações seguras

Assinaturas digitais são usadas para confirmar a identidade do remetente, enquanto a criptografia é usada para proteger os dados de serem lidos ou alterados em trânsito.

Assinaturas digitais são usadas para transações de comércio eletrônico. Eles são uma forma de provar que você é quem diz ser e que tem permissão para fazer uma compra ou transferir fundos eletronicamente. O processo de criptografia é outro método de proteção de dados, e é usado em transações digitais para manter a privacidade de suas informações durante a transferência.

Cartão de crédito protegido por cadeado digital para a segurança de e-commerce.

Por que as medidas de segurança física são importantes mesmo com proteção digital?

Não podemos subestimar a importância das medidas de segurança física, mesmo com proteção digital. As medidas de segurança física não são importantes apenas para a segurança dos funcionários, mas também para a aparência externa da empresa.

As medidas de segurança física são uma parte importante do gerenciamento de risco porque atuam como impedimentos para ladrões em potencial e como uma primeira linha de defesa contra intrusos. Essas medidas podem ser tão simples como a fechadura de uma porta ou sofisticadas como um scanner de retina.

Um hacker usando computador com sacolas de compras para roubar informações de e-commerce e violar a segurança de transações.

Como melhorar a segurança do seu e-commerce de forma simples: melhores práticas

A segurança do comércio eletrônico é uma parte importante de qualquer negócio, pois as ameaças cibernéticas podem ter um efeito prejudicial na confiança e reputação junto ao cliente. Para garantir a segurança do site, é importante que as empresas implementem as melhores práticas quando se trata da segurança no e-commerce, garantindo que os seus dados e de seus clientes sejam mantidos protegidos contra ameaças cibernéticas.

Selo

O selo ajuda a melhorar a segurança do e-commerce, principalmente sua reputação entre os clientes. Os mais reconhecidos são: Ebit e Site Blindado, ou o mais sazonal, Black Friday Legal.

EBIT

O Ebit permitirá que seus clientes avaliem sua experiência em e-commerce, considerando todo o processo de compra de seus clientes, inclusive o pós-venda.

Existem diferentes graus de selos de segurança: bronze, prata, ouro e diamante. Este último é muito credível.

Site Blindado

O selo do Site Blindado é usado para verificar possíveis ataques e invasões nos dados fornecidos pelos clientes, incluindo rastreamento de malware, prevenção de infecções e envio de informações de diagnóstico de comércio eletrônico.

É um selo de alta credibilidade, pois é utilizado pelas principais marcas de e-commerce.

Estabeleça um meio de pagamento seguro

É importante ter um método de pagamento seguro para processar transações de comércio eletrônico online.

Para fazer isso, procure tecnologias que tenham certificações de segurança de dados. Por exemplo, a conformidade com PCI é um padrão internacional reconhecido no mercado de pagamentos que garante que os dados processados ​​por um sistema sejam criptografados.

Já existe um método de pagamento com proteção contra fraudes. Dessa forma, fica mais prático vender online com segurança, pois não há necessidade de usar soluções customizadas.

O Pagar.me é a solução perfeita que atende a esses dois requisitos. Permite aceitar pagamentos digitais por cartão de crédito e boleto de forma segura, fácil e eficiente.

Black Friday legal

Esse tipo de selo é muito interessante para melhorar a segurança do e-commerce, principalmente para o consumidor.

Na época da Black Friday, quase todo e-commerce tem descontos e eles mudam constantemente. Os clientes podem ser bombardeados por tantas mudanças de preços que acabam se sentindo inseguros.

Esse certificado é emitido pela Câmara Brasileira de E-commerce e mostrará aos seus consumidores que seu site está em conformidade com as melhores práticas do setor e as diretrizes éticas que as acompanham.

Espelhamento de servidor

O espelhamento de servidor é outra ferramenta muito útil que pode melhorar a segurança do e-commerce, pois permite fazer backup das informações no banco de dados do site.

Resumindo, funciona criando cópias de servidores paralelos, o que permite que se algum deles falhar, o que pode representar uma tentativa de intrusão, o outro servidor será acionado imediatamente, dificultando as diversas formas de fraude.

Certificado SSL

Provavelmente, esse é o mais comum em muitos sites, portanto, é necessário para a segurança do comércio eletrônico.

O certificado SSL, ou Secure Sockets Layer, é basicamente uma tecnologia que garante a proteção das informações trocadas em um site. Ele usa criptografia a fim de transmitir as informações inseridas pelos usuários em seu site para um servidor, assim garantindo que a comunicação seja segura. Com este certificado, você garante aos seus clientes a privacidade das informações e a proteção contra possíveis ataques e roubo de dados. Para o e-commerce, proteger e garantir a proteção dos dados pessoais e bancários dos clientes é essencial durante o checkout.

Os usuários podem determinar se um site é autenticado por meio do símbolo do cadeado que fica na barra de endereço, no canto superior esquerdo da página, ou pelo URL que deve incluir o prefixo: “https: // …”. 

Esta é uma forma fácil de ser percebida pelos usuários, mas é tão básica e primordial que se torna indispensável.

O SSL também é considerado um critério de categorização do Google. Assim, se você tiver esses selos de segurança para e-commerce, sua loja virtual tem mais chances de conseguir bons posicionamentos orgânicos no buscador, contribuindo para o SEO do seu e-commerce.

Sistema antifraude

O Antifraude é um sistema que utiliza tecnologias de inteligência artificial para analisar o comportamento de compra dos usuários, identificando e bloqueando possíveis tentativas de fraude em sua loja virtual.

Para isso, várias informações são cruzadas pelo sistema, tais como:

Geolocalização: A verificação do endereço de entrega e do endereço de cobrança já pode dar sinais de atividade suspeita.

Código de segurança do cartão: O número é a informação que só pode ser extraída do cartão físico em circunstâncias normais, o que oferece mais proteção para a compra.

Perfil do consumidor: Informações cadastrais, histórico de compras e de navegação são usados para verificar se este tipo de compra é o comportamento normal do cliente.

A partir desta análise, o sistema de prevenção de fraudes identifica possíveis inconsistências – ou ainda, possíveis índices de atividade criminosa. Com isto, atribui um nível de risco às transações, aprovando-as ou não, de forma automática.

Dessa forma, o antifraude adiciona uma camada extra de segurança ao seu comércio eletrônico e ajuda a garantir esse certificado de segurança.

Conte com a criação de senhas fortes

Para que seus clientes estejam protegidos, peça que criem senhas seguras e fortes no cadastro do e-commerce, com letras minúsculas e maiúsculas, números e caracteres especiais.

Muitos usuários estão acostumados a usar a mesma senha em sites diferentes e isso pode figurar um grande risco em caso de vazamento de dados e roubo.

Portanto, vale a pena pedir senhas mais complexas para os consumidores, isso dificulta o acesso de hackers e golpistas à sua conta.

Este requisito pode tornar o processo de registro um pouco mais longo. Mas é fundamental proteger os dados pessoais de seus clientes e mostrar que sua loja leva a segurança a sério.

Identifique vulnerabilidades no seu site

É importante identificar e verificar as vulnerabilidades do seu site com frequência para garantir que seu e-commerce esteja protegido.

Isso pode ser feito usando ferramentas especializadas que analisam sua loja para encontrar falhas de segurança. Dessa forma, os problemas identificados podem ser retificados rapidamente antes que ocorra uma invasão.

Além disso, você também pode avaliar se seu site é seguro testando-o como se fosse um consumidor. Entre na sua loja, selecione os produtos, cadastre-se e inicie o processo de pagamento, verificando se todas as etapas estão funcionando corretamente e da forma mais segura possível.

Mantenha seus sistemas atualizados 

Novos tipos de vulnerabilidades, falhas e ataques são descobertos todos os dias no ambiente digital.

Por isso, sistemas e protocolos de segurança devem estar sempre atualizados para proteger o e-commerce de invasões e atividades fraudulentas. Isso inclui plataformas, plug-ins e outros softwares usados ​​por empresas.

Os desenvolvedores disponibilizam essas atualizações precisamente para otimizar ferramentas e corrigir bugs que podem ser explorados por hackers para roubos de dados.

Dessa forma, o sistema atualizado ajuda a proteger sua loja online de fraudes e golpes de bandidos no comércio electrônico.

Contrate um serviço especializado

Se você precisa de uma solução que abranja todas as necessidades de um e-commerce e não sabe por onde começar, você pode contar com as soluções da Akamai Technologies.

Segundo relatório Enemy at the Gates, cerca de 80% dos ciberataques são direcionados aos clientes de serviços financeiros na tentativa de encontrar menor resistência para ganhos monetários. 

Seis tipos de fraude de comércio eletrônico

Fraude de Afiliados

A fraude de afiliados é um tipo de fraude que ocorre quando uma rede de afiliados deturpa ou faz afirmações falsas sobre os produtos ou serviços que está promovendo. Ele pode ser usado para roubar dinheiro de clientes desavisados e também pode ser usado para direcionar tráfego para um site a fim de conquistar mais clientes. As medidas de segurança do comércio eletrônico são essenciais para evitar esse tipo de fraude. Essas medidas incluem o uso de sistemas de pagamento seguros, monitoramento da atividade do cliente e implementação de outras medidas de segurança, como autenticação de dois fatores.

Fraude de cartão de crédito

Fraude com cartão de crédito é um tipo de crime financeiro que envolve o uso não autorizado do cartão de crédito de outra pessoa para fazer compras fraudulentas. É um dos tipos mais comuns de roubo de identidade e pode ter sérias consequências financeiras e legais, tanto para a vítima quanto para o criminoso. A fraude com cartão de crédito pode ocorrer de várias maneiras, incluindo compras on-line, compras em lojas físicas, compras por correspondência ou até mesmo simplesmente roubando as informações do cartão de crédito de outra pessoa. 

Fraude de estorno

A fraude de estorno é um tipo de fraude financeira em que o criminoso tenta reverter uma transação legítima registrando um estorno no processador de pagamento. Esse tipo de fraude costuma ser perpetrado por criminosos que usam cartões de crédito roubados ou identidades falsas para fazer compras e, posteriormente, solicitam estorno para reaver o dinheiro. A fraude de estorno também pode ser usada para cometer roubo de identidade e outras formas de crime cibernético. Os comerciantes são particularmente vulneráveis a essa forma de fraude, pois não conseguem verificar a legitimidade da transação antes que ela seja processada. 

Fraude de interceptação

A fraude de interceptação é um tipo de fraude em que um usuário não autorizado obtém acesso a informações confidenciais, como números de cartão de crédito e detalhes de contas bancárias, interceptando comunicações entre duas partes. Esse tipo de fraude costuma ser usado para fazer compras fraudulentas, transferir fundos ou roubar dinheiro de indivíduos ou empresas. A fraude de interceptação pode ser perpetrada por meio de golpes de phishing de e-mail, downloads de software malicioso, ou até mesmo interceptação física de e-mail e outros métodos de comunicação. 

Fraude de triangulação

A fraude de triangulação é um tipo de crime financeiro que envolve o uso de três ou mais partes para ocultar a verdadeira origem dos fundos. Muitas vezes, é usado por criminosos para lavar dinheiro, sonegar impostos e ocultar atividades ilícitas.

A fraude de triangulação pode assumir várias formas, incluindo empresas de fachada, contas offshore e transações internacionais. Em todos os casos, o objetivo é criar uma rede complexa de transações que torna difícil para as agências de aplicação da lei rastrearem o dinheiro de volta à sua fonte original. 

Uma imagem de um hacker mascarado segurando um cartão de crédito roubado por meio de um ataque cibernético, refletindo os riscos de segurança à segurança eCommerce.

Aos olhos do cliente: o que é buscado para se proteger na hora de fazer compras online?

Imagine que você é o cliente do seu e-commerce, buscando fazer compras online. A praticidade do ambiente digital proporciona um conforto indiscutível, mas às vezes também poder deixá-lo inseguro quanto a esse processo moderno e automatizado. O que o cliente busca para se proteger? Veja 4 dicas do que o cliente observa para garantir sua segurança na hora da compra.

  • O cliente confere os canais de atendimento do site

Este é um ponto de verificação muito importante antes de concluir a compra. Problemas e imprevistos acontecem, então se o cliente precisar de alguma ajuda da loja, você deve proporcionar os meios para que ele o encontre: a quem ele deve recorrer? Como ele deve agir? Para isso, certifique-se de disponibilizar no seu site informações básicas como o nome da empresa, CNPJ, endereço, telefone, e-mail e atendimento ao cliente (SAC).

Essas informações também podem ser utilizadas como um indicador da seriedade e do comprometimento das empresas que valorizam a prestação de informações relevantes aos seus clientes.

  • O cliente escolhe um site com uma plataforma de pagamento segura

Pagar por meio de uma plataforma intermediária segura, comumente usada em muitas lojas online, é a melhor maneira de evitar fraudes com dinheiro e também é uma forma de recuperar o dinheiro com mais facilidade quando algo dá errado. Isso ocorre porque esses sistemas financeiros verificam as lojas antes de emitir pagamentos, para proteger seus direitos e os direitos dos compradores. Este é outro aspecto importante para implementar no seu e-commerce, garantido sua segurança e também a do seu público.

  • O cliente desconfia

Se o cliente encontra um site que exije informações muito pessoais (como a senha do cartão) ou fornece condições que não estejam de acordo com o mercado (como preços muito baixos), ele deve ficar atento e desconfiar dessas práticas. Por isso, a loja online não deve solicitar a senha do cartão, redirecionando o cliente para uma plataforma de pagamento segura ou incorporando esta página ao seu e-commerce através de checkout transparente. Além disso, os dados da compra e do cliente devem sempre ser fornecidos de modo compatível ao longo de todo o processo de compra. Compreenda a lógica do mercado e aja de forma consistente.

  • O cliente prioriza sites conhecidos ao fazer compras online

Antes de inserir informações pessoais no site, o cliente deve se certificar de que há um ícone de cadeado no canto superior esquerdo da barra de endereço do navegador. Este símbolo indica que o site é especialmente protegido, o que permite que as informações inseridas nessa página sejam transmitidas do seu computador para o servidor de forma mais segura. Portanto, certifique-se de tomar as medidas para assegurar o seu site – o cliente não deve inserir suas informações em uma página sem este ícone.

Assim como queremos priorizar as lojas mais conhecidas ao fazer compras fora do ambiente de rede, devemos priorizar os sites bem conhecidos ao fazer compras pela Internet. O cliente busca informações, pergunta aos amigos e familiares se eles conhecem o seu site e o que acham da experiência de compra. Durante esse processo de busca, o cliente também consulta sites de reclamação, como o Reclame Aqui, como a própria ferramenta de avaliação do Google, ou até mesmo o site do Procon, para verificar a reputação do site. Esteja sempre atento à reputação que a sua empresa tem, respondendo de modo rápido e eficiente as possíveis queixas do seu público. Lembre-se: mesmo que tenha ocorrido algum problema com a compra, um atendimento atencioso e eficaz para reparar a questão fideliza o cliente.

Imagem de um notebook com um porco de metal segurando dados confidenciais de clientes, mostrando a segurança para compras online.

Conclusão

A segurança é uma prioridade para qualquer negócio de comércio eletrônico. Sem medidas de segurança adequadas, os dados pessoais dos clientes e as informações de pagamento podem ser comprometidos. É importante implementar as medidas de segurança corretas para garantir que seu negócio de comércio eletrônico esteja seguro e protegido contra ameaças cibernéticas.

Concluindo, é essencial que toda empresa de comércio eletrônico tome as medidas necessárias para proteger os dados de seus clientes, implementando fortes medidas de segurança, como criptografia, autenticação de dois fatores e firewalls. Ao fazer isso, as empresas podem garantir que os dados de seus clientes permaneçam seguros e protegidos enquanto eles fazem compras online.

Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow em sua caixa de entrada.

Marcio Montagnani
Marcio Montagnani
Especialista em Desenvolvimento de Negócios e Empreendedor, com mais de 15 anos de experiência na área de TI e Telecom, atualmente vem impulsionando o crescimento de negócios por meio de planejamento estratégico e soluções inovadoras. Buscando a excelência em todos os empreendimentos.
Postagens recomendadas
Outras postagens