22.8 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024
InícioCibersegurançaE-cyber: Governo prorroga estratégia de segurança cibernética

E-cyber: Governo prorroga estratégia de segurança cibernética

Em uma decisão estratégica, o governo brasileiro prorrogou a vigência da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética, e-cyber, por mais um ano. A e-cyber foi estabelecida em 2020 e expiraria no final de 2023. O anúncio foi feito pelo coordenador-Geral de Gestão de Segurança da Informação do GSI, Victor Hugo Rosa, nesta terça-feira (06), durante um workshop sobre regulação e segurança cibernética, promovido pela Anatel.

A Anatel, por sua vez, está trabalhando em uma revisão de seu regulamento de segurança cibernética, que foi lançado há três anos. O projeto é liderado pelo conselheiro Alexandre Freire.

Homem de frente para a bandeira do Brasil e diversas pessoas sentadas ao redor, para representar o anúncio da prorrogação da E-cyber.
Imagem gerada por Inteligência Artificial.

Além disso, o Superintendente de Controle de Obrigações da Anatel e coordenador do GT-Ciber, Gustavo Borges, afirmou que a agência pretende entregar, até o final do segundo semestre de 2023, um manual de boas práticas de governança em segurança cibernética para operadoras de telecomunicações e operadoras de pequeno porte. Esse manual será baseado em um estudo realizado pela Universidade Federal da Paraíba, encomendado pela agência reguladora.

Leonardo Ferreira, Diretor de Privacidade e Segurança da Informação do Departamento de Privacidade e Segurança da Informação da Secretaria de Governo Digital (SGD), discutiu o piloto realizado no ano anterior com 57 órgãos públicos. Segundo ele, a iniciativa proporcionou valiosos insights sobre a implementação de melhores práticas de privacidade e segurança.

Homem de terno com os braços cruzados, ao fundo um mapa, para representar o anúncio da prorrogação da E-cyber.
Imagem gerada por Inteligência Artificial.

Um dos tópicos em debate é a criação da Agência Nacional de Cibersegurança, cujo Projeto de Lei (PL) recebeu aprovação preliminar da Casa Civil. O secretário de Segurança da Informação e Cibernética (SSIC), Luis Fernando Moraes da Silva, declarou que uma audiência pública sobre a proposta será realizada em 15 de junho, em Brasília. O GSI estima que a criação da Agência Nacional de Cibersegurança custará aproximadamente R$ 500 milhões em cinco anos. No entanto, o secretário ressaltou que os prejuízos causados pela falta de governança adequada podem ser muito maiores, chegando a bilhões.

Alexandre Freire, Conselheiro da Anatel e presidente do Centro de Altos Estudos em Telecomunicações (Ceatel), encerrou o evento reafirmando o papel fundamental da Anatel na discussão sobre segurança cibernética e na manutenção da resiliência das redes de telecomunicações no Brasil. Freire defendeu a participação ativa da Anatel na elaboração de políticas públicas voltadas à segurança cibernética.

A extensão da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética e a potencial criação da Agência Nacional de Cibersegurança representam etapas importantes na evolução da segurança cibernética no Brasil. Conforme a nação continua a se digitalizar, a necessidade de medidas robustas e abrangentes de proteção cibernética só aumenta.

Com informações do Convergência Digital.


Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow em sua caixa de entrada.

Erika Rodrigues
Erika Rodrigues
Sou repórter e redatora no Itshow. Já produzi diversas matérias como jovem repórter do Núcleo de Jornalismo Investigativo da Record TV, onde também fiz parte da equipe de apuração da Agência Record, abastecendo os principais jornais da casa, além do portal R7. Com dedicação e comprometimento, estou sempre em busca de novos desafios e oportunidades de crescimento em carreira.
Postagens recomendadas
Outras postagens