22.8 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024
InícioTransformação digitalMetodologia ágil: conheça os 7 principais tipos e como eles podem influenciar...

Metodologia ágil: conheça os 7 principais tipos e como eles podem influenciar a cultura da sua empresa

Na busca pela transformação digital bem-sucedida, dois elementos-chave – transparência e envolvimento – emergem como pilares fundamentais na implementação eficaz de estratégias. No contexto da adoção de uma metodologia ágil, esses princípios se tornam ainda mais essenciais, enfatizando a transparência e o envolvimento em todos os níveis da organização.

As metodologias ágeis, com seu foco na colaboração contínua, comunicação aberta e entrega incremental, promovem a transparência ao expor o progresso e os desafios do projeto de forma regular e acessível a todos os envolvidos. Além disso, o envolvimento é inerente a essas metodologias, uma vez que todas as partes interessadas, desde a equipe de desenvolvimento até os líderes de TI e os stakeholders de negócios, trabalham juntas em busca de um objetivo comum.

Na segurança da informação, as metodologias ágeis também desempenham um papel importante ao permitir que as equipes de TI respondam rapidamente às ameaças emergentes. O uso de sprints e ciclos curtos de trabalho facilita a adaptação a novos desafios de segurança, garantindo que a proteção dos ativos digitais da organização permaneça robusta.

Assim, as metodologias ágeis oferecem um quadro sólido para a integração efetiva de TI nos objetivos estratégicos da empresa, promovendo a transparência, o envolvimento e a agilidade necessários para enfrentar os desafios da transformação digital com sucesso.

metodologia ágil
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

O que são metodologias ágeis?

As metodologias ágeis surgiram com a finalidade de assegurar a eficácia na execução de projetos, visando atender à crescente necessidade de agilidade no mundo contemporâneo.

Essas abordagens podem ser compreendidas como um meio de acelerar a realização de um projeto através de entregas pequenas e ciclos iterativos. Nesse contexto, a gestão de projetos fundamentada nas metodologias ágeis se baseia em alguns pilares essenciais, incluindo:

1. Estímulo à inspeção e adaptação frequentes;

2. Ênfase no cliente e na entrega de valor;

3. Promoção do trabalho em equipe, colaboração e comunicação constante.

Na prática, as metodologias ágeis possibilitam que o cliente tenha acesso antecipado aos resultados do trabalho, uma vez que as entregas ocorrem em fases, o que intensifica a harmonia entre os participantes. É relevante destacar que essas abordagens têm como fonte de inspiração o Manifesto Ágil, que foi divulgado em 2001.

Esse manifesto, que se tornou uma referência na área, enumera os quatro princípios mais significativos para o desenvolvimento de projetos que priorizam a agilidade:

1. Valorizar indivíduos e interações acima de processos e ferramentas;

2. Priorizar o software funcionando em detrimento da documentação extensiva;

3. Estimular a colaboração com o cliente, ao invés da negociação de contratos;

4. Responder às mudanças e transformações, ao invés de aderir rigidamente a um plano preestabelecido.

Metodologia ágil x metodologia tradicional

As metodologias ágeis representam uma alternativa aos métodos de gestão mais convencionais, implicando em algumas diferenças. Nas metodologias ágeis, a comunicação com o cliente é constante em todas as fases do projeto. 

As etapas de implementação são mais curtas e flexíveis. Equipes multidisciplinares operam com autonomia e interagem regularmente, e há espaço para ajustes contínuos à medida que o projeto progride.

Nas metodologias tradicionais, as etapas de implementação tendem a ser mais longas. O escopo e os requisitos são definidos no início do projeto, tornando os processos mais rígidos. A comunicação com o cliente ocorre principalmente no início e no final do projeto, e uma figura central desempenha o papel de monitorar as demandas e tomar decisões.

leandro roldão

Ouça agora o episódio 16 do podcast disponível no Spotify!

Benefícios do método ágil

Os benefícios que as metodologias ágeis oferecem são perceptíveis em duas principais perspectivas: para as equipes envolvidas nos projetos e para os clientes, com um foco destacado na entrega de valor.

Equipes

  • Estabelecimento de maior disciplina, regularidade e autonomia na tomada de decisões;
  • Realização de inspeção e adaptação frequentes do framework, visando minimizar desperdícios e promover melhorias contínuas;
  • Simplificação da execução das tarefas, com a possibilidade de entendê-las dentro de um contexto mais amplo;
  • Recebimento regular de feedbacks sobre o trabalho em andamento;
  • Distribuição das responsabilidades entre todos os membros da equipe;
  • Ênfase na valorização do aspecto humano no projeto.

Clientes

  • Recebimento de produtos de maior qualidade;
  • Redução de problemas e falhas, pois são identificados e resolvidos antecipadamente;
  • Maior transparência e visibilidade do status do projeto, com a participação ativa do cliente no processo;
  • Flexibilidade para realizar mudanças nos requisitos, permitindo uma maior customização;
  • Aceleração das entregas e, como resultado, tomadas de decisão mais ágeis;
  • Foco nas funcionalidades que agregam mais valor para o usuário, resultando em uma maior usabilidade.
leandro roldão

Quer saber mais sobre metodologias ágeis? Baixe agora o nosso material de apoio!

Como as metodologias ágeis podem ajudar a sua empresa

O impacto das metodologias ágeis na rotina de trabalho está relacionado à maneira como elas contribuem para a organização das atividades. Essas ferramentas desempenham um papel fundamental na simplificação e eficiência dos processos, uma vez que esses processos evoluem a cada ciclo com base nas métricas geradas pela própria equipe. 

Contudo, a maior contribuição das metodologias ágeis está ligada à transformação da cultura nas empresas. Para colher todos os benefícios da agilidade, é essencial que a estrutura organizacional crie um ambiente seguro no qual as pessoas tenham autonomia e espaço para cometer erros e aprender com eles.

As metodologias ágeis representam uma mudança de paradigma ao nos fazer questionar não mais “como entregamos tudo”, mas sim “como entregamos o que é realmente essencial”. Também nos conduzem a evitar a busca pela solução antes de compreendermos completamente o problema e estabelecermos critérios para determinar sua resolução. 

Tais transformações são possíveis apenas em organizações maduras, que priorizam capacitar as pessoas para tomar decisões e colocar as necessidades dos usuários em primeiro lugar.

Certamente, vou apresentar cada uma das metodologias ágeis em formato de parágrafo:

7 principais tipos de metodologias ágeis

1 – Kanban

O Kanban é uma metodologia ágil que tem suas raízes na gestão japonesa, originalmente concebida para otimizar o fluxo de trabalho em indústrias. Essa abordagem se baseia no uso de cartões de sinalização para acompanhar o status dos produtos, buscando sincronizar o estoque com a produção. 

No contexto de escritórios e desenvolvimento de software, essa metodologia é replicada por meio de quadros com post-its ou plataformas como o Trello, oferecendo um método visual e simples para que todos compreendam as tarefas, projetos e responsabilidades da equipe.

2 – Lean

O Lean é uma filosofia de gestão que se originou no setor automobilístico e visa alcançar o desenvolvimento de produtos de forma enxuta e eficiente. Essa metodologia concentra-se em minimizar o uso de recursos e tempo, reduzindo custos por meio da eliminação de excessos na produção e otimização dos resultados. O Lean promove um fluxo de trabalho claro e compreensível, priorizando o valor entregue.

método ágil
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

3 – Scrum

O Scrum é considerado uma das metodologias ágeis mais versáteis e complexas, adequada para o gerenciamento de uma variedade de projetos. Com sua origem nos anos 1990, ele opera com três funções principais: Product Owner, Scrum Master e Time de Desenvolvimento. 

O Product Owner lidera a coordenação do time de desenvolvimento e gerencia o Backlog do produto. O Scrum Master facilita a aplicação correta do Scrum e garante sua compreensão por todos. O Time de Desenvolvimento é composto por uma equipe que se envolve na criação. 

A metodologia utiliza sprints, ciclos de trabalho rápidos que resultam em entregas parciais e um Backlog que pode evoluir ao longo do projeto.

4 – Extreme Programming (XP)

O Extreme Programming, ou XP, é uma metodologia ágil voltada principalmente para a engenharia de software. Ao contrário do Scrum, que se concentra em práticas de gestão, o XP enfatiza funções técnicas. 

Os princípios do XP incluem testar, revisar e projetar integração constante, criação de soluções simples e desenvolvimento por meio de iterações curtas. O feedback contínuo do cliente é fundamental no processo do XP.

5 – Feature Driven Development

O Feature Driven Development (FDD) é uma metodologia ágil que se concentra no desenvolvimento de funcionalidades como base. O processo do FDD envolve a criação de um modelo amplo, a edificação de uma lista de funções, o planejamento, detalhamento e concepção por funcionalidade. 

Algumas organizações combinam o FDD com o Scrum, aplicando o método de funcionalidades em cada sprint para melhorar o planejamento das tarefas em cada ciclo.

6 – Dynamic Systems Development Methodology (DSDM)

A Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Dinâmicos (DSDM) é um framework ágil utilizado para o desenvolvimento de software com a participação contínua do cliente. Ela compreende três fases: pré-projeto, projeto e pós-projeto. 

Na fase de pré-projeto, o foco está na identificação do projeto e na elaboração do orçamento, buscando a máxima racionalidade de recursos. A fase de projeto envolve estudos de viabilidade, criação de protótipos incrementais e ciclos de feedback. A fase de pós-projeto concentra-se em manutenções e ajustes, caso sejam necessários.

7 – Adaptive Software Development (ASD)

O Adaptive Software Development (ASD) é uma metodologia ágil adequada para projetos complexos. Ela é baseada em ciclos iterativos e incrementais, com a presença contínua do cliente ao longo do processo. 

O ASD segue seis princípios: orientação a missões, fundamentação em componentes, iteratividade, definição de prazos, complacência às mudanças e predisposição a riscos. Essa abordagem visa a adaptabilidade e a melhoria contínua, permitindo que o cliente solicite mudanças conforme necessário.

transformação digital
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

Colaboração e agilidade na transformação digital da sua empresa

No século XXI, o cenário da tecnologia da informação testemunhou uma grande transformação com a transição de uma abordagem isolada para uma colaborativa. A TI deixou de ser uma entidade independente e se integrou completamente aos objetivos das empresas. Nesse cenário, várias metodologias emergiram, oferecendo alternativas à abordagem tradicional ‘waterfall’. Entre elas, as metodologias ágeis se destacam, impulsionando a colaboração e a agilidade.

Como Leandro Roldão, executivo da EDP Brasil e convidado do 16º episódio do podcast Itshow, destaca, “o que é mais importante é a colaboração. A estrutura de TI agora é uma estrutura que trabalha com o negócio ao mesmo tempo.” Essa colaboração contínua entre a TI e as áreas de negócios é fundamental para o sucesso das metodologias ágeis, pois, através de ciclos de trabalho curtos e intensivos, conhecidos como ‘sprints’, as entregas são realizadas de forma gradual, permitindo que todos na organização participem ativamente do processo. 

Esse senso de pertencimento e colaboração é ainda mais essencial em um ambiente de trabalho remoto, onde a mentalidade evoluiu de “estar presente” para “realizar entregas”.

Com essa mudança de mentalidade, vieram benefícios significativos, incluindo casos notáveis de sucesso no trabalho remoto e uma taxa de turnover zero em algumas empresas de TI – um feito notável. 

Neste atual cenário da TI, é necessário compreender a importância da colaboração, a disposição para explorar metodologias ágeis e o foco implacável na entrega. Seguir esses princípios não apenas melhora a eficiência e a produtividade, mas também pode levar a uma taxa de turnover zero, um objetivo almejado por qualquer líder de TI comprometido com o sucesso da organização.

Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow em sua caixa de entrada.

Fernanda Martins
Fernanda Martins
Formada em Letras, com pós em mídias sociais, e redatora do portal de notícias Itshow. Já escreveu para vários blogs de cultura pop, produziu conteúdo no Facebook e no Instagram sobre literatura e até escreveu algumas fanfics pela internet. Hoje, se especializa em redação e usa suas habilidades de escrita crítica e literária para trazer mais sensibilidade aos textos e continuar fazendo o que ama.
Postagens recomendadas
Outras postagens