22 C
São Paulo
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
InícioTransformação digitalInteligência Artificial e a Indústria 4.0

Inteligência Artificial e a Indústria 4.0

Cultura de inovação: a nova tendência da indústria

Em entrevista ao Podcast Itshow, Maurício Mazza, diretor de tecnologia, contou como a Suzano, uma das empresas líderes na indústria, adotou a mentalidade da cultura de inovação, incentivando seus funcionários a explorar novas ideias e soluções. Este é o coração da inovação – uma cultura que apoia, recompensa e reconhece a experimentação e os riscos calculados.

Uma maneira eficaz de tornar intrínseca essa cultura de inovação é expor os funcionários às várias soluções de mercado disponíveis. Na Suzano, por exemplo, programas como o Open Innovation e parcerias com o Cubo Digital e o Cubo Agro têm sido fundamentais para permitir que os funcionários se familiarizem com as tecnologias emergentes e compreendam como elas podem ser aplicadas no ambiente de trabalho. 

Essa exposição não apenas abre os olhos dos funcionários para novas possibilidades, mas também os capacita a interagir diretamente com as pessoas por trás das soluções que estão sendo criadas. Isso, por sua vez, impulsiona o conhecimento e a adoção de inovações, como a inteligência artificial, em todos os níveis da empresa. “Então, é legal porque o nosso colaborador tem a oportunidade de interagir com pessoas que estão criando algoritmos, capturando dados e trabalhando com imagem via satélite para uma finalidade bastante específica, e isso acaba gerando conhecimento, principalmente na base, do que você pode fazer com inteligência artificial”, salienta Maurício.

imagem digital de inteligência artificial
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

O que é Inteligência Artificial

Para entender o papel crucial da Inteligência Artificial (IA) na melhoria do crescimento e produtividade de diversas organizações, é essencial conhecer a natureza desta tecnologia e reconhecer a importância de investimentos em seu desenvolvimento. Em sua essência, a IA busca reproduzir a cognição humana em máquinas através da criação de algoritmos que simulam nosso raciocínio. Isso visa tornar os sistemas cada vez mais autônomos e eficientes, oferecendo uma operação independente e veloz.

A implementação da IA permite a automatização de processos dentro de uma organização, incluindo a tomada de decisões, avaliação de crises, prevenção de riscos, dentre outras tarefas complexas. Além disso, facilita uma análise de dados mais precisa e rápida. As tecnologias de IA, que estão diretamente ligadas a softwares e dispositivos recentemente desenvolvidos e aprimorados, são capazes de identificar padrões, perceber comportamentos e avaliar conjuntos de dados. Além disso, elas têm a habilidade de realizar tarefas complexas com pouca ou nenhuma intervenção humana, otimizando assim a nossa capacidade reflexiva e perceptiva.

O objetivo da Inteligência Artificial na empresa 

O uso da Inteligência Artificial (IA) na Suzano é um exemplo de equilíbrio entre inovação e responsabilidade. A IA tem sido aplicada de várias formas, desde a identificação de incêndios florestais com base em imagens capturadas até a determinação do melhor momento para fornecer energia elétrica excedente para a rede elétrica. Tais aplicações exemplificam como a Inteligência Artificial pode ser usada para otimizar processos e melhorar a eficiência operacional. “Usamos a inteligência artificial para calcular o melhor momento para enviar o excedente de energia elétrica para a rede da companhia de energia que atua em algumas de nossas fábricas.”

Quer saber mais sobre a aplicação da Inteligência Artificial (IA) na indústria e sobre os processos de inovação? Ouça o episódio completo do nosso podcast!

Porém, a chave para o sucesso com a IA na indústria não é apenas adotar a tecnologia mais recente, mas usar essa tecnologia de maneira estratégica, focada nos problemas reais que a empresa está tentando resolver. Entender a distinção entre IA estreita e IA genérica é o primeiro passo.

Tipos de Inteligência Artificial

IA estreita

A IA estreita é aquela que é treinada para realizar tarefas específicas, como identificar anomalias em imagens ou prever a demanda futura por um produto. Na Suzano, a IA estreita tem sido a abordagem preferida, focada na solução de problemas específicos. 

A empresa utiliza, por exemplo, algoritmos de machine learning para otimizar a manutenção de seus equipamentos, reduzindo o tempo de inatividade e melhorando a eficiência operacional. Eles também usam a IA para melhorar a precisão de suas previsões de demanda, permitindo que gerenciem melhor seu estoque e maximizem sua receita. “A liderança tem um papel crucial em compreender a diferença entre inteligência artificial estreita e genérica. Por exemplo, o ChatGPT é uma IA estreita, projetado para parecer o mais humano possível nas respostas”, completa Mazza.

IA genérica

Já a IA genérica, também conhecida como IA forte ou superinteligência, é aquela que possui habilidades cognitivas comparáveis às dos seres humanos em praticamente todas as áreas intelectuais – uma façanha que, até a escrita deste artigo, ainda não foi alcançada.

Para a Suzano, a adoção da IA não é apenas uma questão de eficiência. A empresa reconhece que a IA é uma ferramenta poderosa para promover a sustentabilidade. Eles estão explorando o uso de IA, por exemplo, para monitorar a saúde de suas florestas, permitindo-lhes detectar problemas mais cedo e agir antes que se tornem crises maiores. Também estão avaliando o uso de IA para otimizar o uso de água e energia em suas operações.

Mas, para aproveitar ao máximo a IA, é necessário mais do que apenas tecnologia. É necessária uma força de trabalho capacitada e flexível, capaz de se adaptar às novas formas de trabalhar que a IA possibilita. É preciso estar comprometido com a capacitação de seus funcionários para trabalhar com IA, proporcionando treinamento e oportunidades de desenvolvimento contínuos. Essa é a verdadeira essência da quarta revolução industrial.

Baixe o material de apoio do podcast para se aprofundar no assunto!

Indústria 4.0

Emergindo dos recentes avanços tecnológicos, surge o conceito da Indústria 4.0, também conhecida como a quarta revolução industrial. Esse período é marcado pela implementação de tecnologias cada vez mais sofisticadas na automatização e aperfeiçoamento da cadeia produtiva, incluindo Big Data, Internet das Coisas (IoT), espaços cyber-físicos e o uso da Inteligência Artificial (IA). Tais tecnologias estão sendo integradas ao ambiente fabril, compreendendo sensores e dispositivos acoplados ao maquinário que geram dados e monitoram e avaliam a capacidade das máquinas, além de promover a troca de informações entre elas e pelo ambiente de produção. 

Os dados gerados por esses dispositivos, quando consolidados, transformam-se em informações úteis para a otimização dos processos, prevenção de falhas e suporte na tomada de decisões pelos gestores. O conceito de Indústria 4.0 representa a automação industrial e a integração de diferentes tecnologias, incluindo também a computação em nuvem. O objetivo dessa integração é promover a digitalização das atividades industriais para melhorar os processos e aumentar a produtividade.

Como a IA afeta o processo de produção?

A implementação da Inteligência Artificial (IA) na indústria tem o potencial de revolucionar os processos de produção, permitindo, por exemplo, que robôs realizem reparos complexos em máquinas e equipamentos. Durante a Feira de Hannover, evento internacional de tecnologia para a indústria realizado em abril deste ano, empresas como a HPE demonstraram como assistentes virtuais com IA podem instruir operações de reparação remotas, eliminando a necessidade da presença física de técnicos especializados. Startups como a Aleph Alpha ofereceram ferramentas inovadoras que possibilitam a interação entre os trabalhadores e a IA, permitindo a identificação de problemas em máquinas por meio de fotos. 

Já a Siemens, em parceria com a Microsoft, está focada em melhorar a eficiência das fábricas através da IA. Eles estão desenvolvendo plataformas que auxiliam trabalhadores a detectar defeitos em produtos. A ideia de que a IA causará o desaparecimento de muitos empregos é rejeitada pelo meio industrial, que argumenta que a IA está permitindo a execução de tarefas que não eram realizadas anteriormente, com o único objetivo de aumentar a eficiência. 

Benefícios da Inteligência Artificial nas empresas

Corte de custos

A modernização das empresas é uma estratégia fundamental para aumentar os lucros e diminuir os custos. Isso é alcançado acelerando certas etapas, reduzindo erros e, portanto, evitando perdas. A automatização de processos, especialmente os repetitivos, melhora a produtividade e diminui a necessidade de trabalho humano. Como exemplo, os chatbots são uma forma de IA que otimiza o atendimento ao cliente, fornecendo informações precisas e resolvendo problemas básicos, liberando os funcionários para outras tarefas.

Melhoria da produção

A automatização torna os processos mais rápidos e eficientes, resultando em maior produtividade e menos perdas. A otimização das operações é essencial para obter retornos financeiros mais altos e estabelecer uma cultura organizacional robusta e positiva. Essas mudanças auxiliam o crescimento sustentável do negócio, conduzindo a resultados favoráveis. 

Mitigação de riscos

A IA é uma ferramenta poderosa para o processamento de dados, especialmente quando se trata de grandes volumes de informações. Isso fornece às empresas acesso a dados cruciais para a tomada de decisões. A coleta e análise de dados de vários setores da empresa permitem uma avaliação abrangente do estado do negócio. Assim, é possível identificar problemas potenciais e agir preventivamente. Ademais, a análise de dados permite uma avaliação mais precisa dos riscos de investimento.

imagem digital de inteligência artificial (IA) trabalhando na indústria
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

Impactos e desafios da Indústria 4.0 no Brasil

A implementação da Indústria 4.0 no Brasil apresenta desafios multifacetados, como a necessidade de investimentos em tecnologias avançadas, adaptação dos processos produtivos, e o desenvolvimento de novas competências e especialidades. Essa transição demanda novas formas de gestão e engenharia para conectar de forma autônoma a compra, produção e distribuição, minimizando a necessidade de intervenção humana constante. No entanto, poucas empresas estarão prontas para implementar essas mudanças de uma vez, sugerindo a necessidade de um processo de transição gradual, levando em conta as capacidades e estratégias individuais das empresas. 

Além dos impactos econômicos, a Indústria 4.0 poderá trazer várias mudanças estruturais, exigindo uma nova visão para a política industrial do Brasil. Entre essas mudanças estão a redução das vantagens comparativas, a ampliação da cooperação entre agentes econômicos, o reforço da competitividade, o estabelecimento de novos modelos e a ampliação da escala de negócios e o surgimento de novas profissões. Esses fatores poderiam redefinir os fatores determinantes de localização de investimentos produtivos, a configuração de setores de atividade econômica e demandariam adaptações no padrão de formação de recursos humanos.

5 aplicações de Inteligência Artificial na Indústria 4.0

A receita do mercado de softwares de IA deve crescer 35% anualmente até 2025, quando a previsão indica que atingirá US$126 bilhões, segundo o relatório Artificial Intelligence – In-depth Market Insights & Data Analysis, publicado pelo Statist. Entre as aplicações da IA na Indústria 4.0, estão:

1. Planejamento Avançado e Programação de Produção

O Planejamento Avançado e Programação (APS) de Produção pode ser potencializado pelo uso de Inteligência Artificial (IA) para garantir que todas as operações sejam ajustadas de acordo com o estoque disponível, a capacidade de início da produção e os prazos de entrega da empresa. A IA examina dados históricos para prever demandas, permitindo que a indústria tome medidas proativas para se adaptar às necessidades do mercado, evitando assim desperdícios e cortando custos desnecessários. 

2. Garantia de Qualidade

As indústrias, com o auxílio da IA, podem usar análises de grandes volumes de dados em tempo real para identificar rapidamente falhas na linha de produção e suas causas. Isso possibilita que a gestão do processo produtivo corrija os problemas com mais rapidez, evitando a replicação de defeitos em muitos produtos. A IA também auxilia os colaboradores em tarefas repetitivas, permitindo que se concentrem em funções mais críticas. Isso reduz a chance de erros, melhorando assim a qualidade da operação. 

3. Aprimoramento de Processos

Os processos industriais produzem grandes volumes de dados que, quando interpretados corretamente, podem gerar insights valiosos para aprimorar a operação. Com a IA, esses dados podem ser coletados, analisados e modelados por algoritmos de aprendizado de máquina para guiar a otimização de processos, como a produção com o uso mínimo de recursos. 

4. Manutenção e Análise Preditiva

A análise preditiva usa IA para processar dados e prever eventos com base em padrões e tendências previamente identificados. Quando a análise preditiva indica a possível falha de uma máquina, a manutenção procura a causa raiz do problema e age proativamente para evitar impactos negativos na produção e custos adicionais futuros. A IA evita que máquinas e equipamentos sejam desmontados desnecessariamente para encontrar falhas ou fazer ajustes, reduzindo danos e prolongando sua vida útil. 

ilustração digital de inteligência artificial (IA)

5. Gerenciamento de Cadeia de Suprimentos

Softwares de IA podem ser usados para gerenciar a cadeia de suprimentos, que engloba toda a logística de produtos e materiais. As indústrias podem usar dados de suas operações, como número de pedidos e estoque, para gerar previsões precisas de demanda. As estimativas sem base em dados reais podem resultar em estoques excessivos de produtos, trazendo grandes prejuízos. Uma previsão precisa da demanda garante a eficiência da produção e evita o acúmulo de estoque e desperdício de recursos e de mão de obra.

O futuro da Inteligência Artificial na indústria

A abrangência e profundidade dos aplicativos de Inteligência Artificial, englobando big data e machine learning, exercem impacto significativo em todos os setores da indústria. Muitos desses aplicativos ainda estão em fase inicial, representando provavelmente apenas a superfície do que pode ser alcançado à medida que essa tecnologia se desenvolve. Assim, é imperativo para as organizações agirem com agilidade para potencializar sua habilidade interna de explorar e implementar a IA. 

No futuro, acredita-se que a Inteligência Artificial desempenhará um papel ainda mais central na indústria. Além de aprimorar a eficiência e a produtividade, a IA poderá impulsionar inovações em produtos e serviços, proporcionando oportunidades sem precedentes de personalização e atendimento ao cliente. A IA também será crucial na promoção da sustentabilidade na indústria, ajudando a otimizar o uso de recursos e a minimizar o desperdício. Assim, o domínio e a aplicação da IA serão elementos cruciais para a competitividade e o sucesso das organizações no futuro industrial. “Apesar do receio, devemos lembrar que a introdução de novas tecnologias sempre existiu. Na maioria das vezes, ocorre uma transformação do trabalho, mas não uma substituição, pois  a verdadeira criação ainda é um superpoder humano”, conclui Mazza.

Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow em sua caixa de entrada.

Fernanda Martins
Fernanda Martins
Formada em Letras, com pós em mídias sociais, e redatora do portal de notícias Itshow. Já escreveu para vários blogs de cultura pop, produziu conteúdo no Facebook e no Instagram sobre literatura e até escreveu algumas fanfics pela internet. Hoje, se especializa em redação e usa suas habilidades de escrita crítica e literária para trazer mais sensibilidade aos textos e continuar fazendo o que ama.
Postagens recomendadas
Outras postagens