17.4 C
São Paulo
quinta-feira, junho 20, 2024
InícioCibersegurançaSeguro Cibernético: Entenda O Que É e Como Escolher A Melhor Apólice

Seguro Cibernético: Entenda O Que É e Como Escolher A Melhor Apólice

Este texto é inspirado em nossa série do podcast Cybersafe, onde Paulo Baldin, Ronaldo Andrade e Calza Neto compartilham suas experiências e perspectivas únicas sobre cibersegurança. Paulo trabalha como CIO, CISO e DPO, Ronaldo é CISO no setor de seguros e Calza é advogado focado em direito digital. Juntos, eles mergulham em discussões sobre segurança digital, trazendo histórias e insights valiosos.

No mundo cada vez mais interconectado em que vivemos, a proteção contra ameaças cibernéticas se tornou uma prioridade crucial. Enfrentando um cenário em constante evolução de ataques virtuais, empresas de todos os setores se veem diante de desafios significativos na preservação de suas operações e da confidencialidade dos dados. 

Neste contexto, o seguro cibernético surge como uma salvaguarda essencial, oferecendo não apenas uma defesa adicional contra violações e ataques, mas também garantindo a continuidade dos negócios mesmo diante de incidentes disruptivos. Em um ambiente onde a segurança é um imperativo, a implementação eficaz de medidas de proteção cibernética não só fortalece a resiliência das organizações, mas também reafirma o compromisso com a confiança e a segurança dos dados.

O que é Seguro Cibernético?

O seguro cibernético é uma modalidade de proteção que foi desenvolvida para salvaguardar empresas contra os riscos associados à gestão de dados e informações digitais. Originalmente focado na proteção de dados, esse seguro expandiu seu escopo para abranger a dependência das empresas sobre essas informações e o ambiente de disponibilidade e segurança em que operam.

A cobertura do seguro cibernético é ampla e alinha-se diretamente com as responsabilidades de um Chief Information Security Officer (CISO), abarcando desde a privacidade de dados e conformidade com leis como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) até interrupções de negócio decorrentes de incidentes cibernéticos.

Dessa forma, o seguro cibernético dialoga com aspectos críticos da segurança da informação dentro das empresas. Conforme Hellen Fernandes, Gerente Executiva de Subscrição de Financial Lines e Cyber na Zurich, afirmou: “O seguro cibernético é fundamental, pois não só protege os dados da empresa, como evoluiu para abranger a dependência das informações e a infraestrutura de disponibilidade e segurança. Ele abrange desde a privacidade e a LGPD até as interrupções de negócio, refletindo diretamente nas responsabilidades diárias de um CISO em qualquer companhia.”

Para contratar um seguro cibernético, o processo inicia com o preenchimento de um questionário de risco. Este questionário é fundamental para que a seguradora possa realizar uma pré-análise dos riscos associados à empresa. Com base em um framework de segurança da informação, o questionário inclui perguntas variadas, desde simples verificações de segurança, como a existência de um firewall, até questões mais complexas, como a frequência e eficácia dos testes de planos de resposta a incidentes.

A partir das respostas fornecidas, a seguradora prossegue para uma análise de subscrição mais detalhada. Nesta fase, aspectos como o faturamento da empresa, seu tamanho, governança corporativa e medidas de mitigação de risco são examinados. Essa análise permite à seguradora compreender melhor o perfil de risco da empresa e, com isso, estruturar uma proposta de seguro que ofereça as coberturas necessárias e adequadas ao perfil e às necessidades específicas da empresa.

Categorias de Seguro Cibernético

Na era digital, onde dados e transações online são pilares fundamentais para a operação de negócios em quase todos os setores, os riscos cibernéticos se tornaram uma preocupação crescente. Para mitigar essas ameaças, o mercado de seguros desenvolveu produtos específicos conhecidos como seguros cibernéticos.

Esses seguros oferecem proteção contra uma variedade de riscos associados à tecnologia da informação e atividades online, cobrindo desde violações de dados até interrupções operacionais causadas por ataques cibernéticos. As categorias desses seguros variam amplamente, incluindo coberturas para responsabilidade por violação de dados, interrupção de negócios, extorsão cibernética, responsabilidade por erros e omissões, responsabilidade de mídia, e responsabilidade de rede.

Entre essas categorias, o seguro cibernético financeiro destaca-se pela sua relevância em proteger instituições contra perdas financeiras diretas decorrentes de incidentes cibernéticos. Este tipo de seguro é essencial para instituições financeiras como bancos, corretoras e companhias de seguros, que gerenciam um volume significativo de transações financeiras e possuem uma alta exposição a riscos cibernéticos.

O seguro cibernético financeiro cobre uma série de eventos, incluindo fraude eletrônica, perdas associadas à recuperação de dados financeiros, despesas legais e regulatórias, e perdas de receita devido a interrupções nos serviços. Além disso, garante proteção contra responsabilidade por transferências não autorizadas, um risco especialmente pertinente no setor financeiro onde as transferências de fundos são um processo diário e essencial. Através deste seguro, as instituições podem não apenas salvaguardar seus recursos, mas também fortalecer a confiança de seus clientes, crucial para a sustentabilidade de suas operações em um ambiente cada vez mais digital e vulnerável.

Como Paulo Condutta, CISO do Ouribank, enfatiza, “O seguro cibernético é crucial, especialmente para empresas menores que não conseguem absorver o impacto de um evento cibernético. Ele permite uma recuperação mais rápida e com menos dor, protegendo a operação e a continuidade dos negócios.”

Em um ambiente onde as consequências financeiras de um ataque cibernético podem ser devastadoras, o seguro cibernético atua como um amortecedor financeiro, permitindo que as empresas lidem com as repercussões sem comprometer sua estabilidade financeira.

A demanda por seguros cibernéticos tem apresentado um crescimento significativo, com previsões indicando que o mercado global alcançará US$ 20,4 bilhões até 2025, refletindo sua importância como um mecanismo de transferência de risco.

Este aumento é impulsionado por uma maior conscientização das empresas sobre a necessidade de proteção contra perdas financeiras e de reputação devido a violações de segurança e ataques cibernéticos. A taxa de crescimento anual composta (CAGR) para este mercado é estimada em 21,2% durante o período projetado de 2020 a 2025, conforme destacado em relatórios da indústria.

Para mais informações, você pode consultar o relatório completo da Research and Markets sobre o mercado de seguros cibernéticos aqui.

A Crucialidade da Resiliência Cibernética 

Paulo Condutta salienta a importância da resiliência cibernética em um contexto de inovação constante. Ele aponta que, segundo relatório da IBM, o custo médio de uma violação de dados em 2021 ultrapassou $4 milhões, demonstrando o impacto devastador que lapsos de segurança podem ter. 

“A resiliência cibernética é fundamental em um mundo onde a inovação e os desafios não param de crescer. Precisamos entender onde atuar e adaptar os controles de segurança, especialmente em um mercado financeiro tão regulado pelo Bacen e outras entidades.” 

No cenário regulatório, instituições como o Banco Central do Brasil (Bacen) impõem diretrizes rigorosas que requerem que os bancos mantenham padrões elevados de segurança para mitigar riscos operacionais. A adaptação a essas normativas não só protege as instituições mas também fortalece a confiança do consumidor no sistema financeiro digital.

A transformação digital ampliou as fronteiras do mercado financeiro, mas também escalou a superfície de ataque para atividades criminosas. Paulo Condutta destaca o aumento de crimes digitais, como fraudes e ataques de phishing, que segundo o relatório da Kaspersky, cresceram 60% em 2020 em relação ao ano anterior.

grafico pizza seguro cibernetico
Gráfico em pizza destacando o crescimento de 60% nos crimes digitais em 2020 em comparação ao ano anterior, segundo dados da Kaspersky.

“Com a digitalização do mercado financeiro, os criminosos veem nos meios digitais uma oportunidade mais lucrativa e segura para cometer crimes. Isso eleva o risco principalmente na borda do usuário, onde a engenharia social e os ataques de phishing são frequentes.” A engenharia social, que explora a psicologia dos usuários para enganá-los e obter informações confidenciais, tornou-se uma tática prevalente, evidenciando a necessidade de robustas estratégias de segurança na “borda do usuário”.

Principais apólices de Seguro Cibernético

As principais apólices de seguro cibernético oferecidas por empresas como Zurich, AXA Brasil e AIG são desenvolvidas para fornecer proteção abrangente contra uma variedade de riscos cibernéticos. Essas apólices são projetadas para atender às necessidades específicas das empresas que operam em um ambiente digital cada vez mais ameaçado por ataques cibernéticos, violações de dados e outros riscos relacionados à tecnologia. Aqui está um resumo das características principais das apólices de seguro cibernético dessas três grandes seguradoras:

1. Zurich

A Zurich é conhecida por oferecer uma das apólices de seguro cibernético mais completas do mercado. A apólice da Zurich cobre uma ampla gama de incidentes, incluindo ataques de malware, hacking, perda ou roubo de dados, e ataques de denial-of-service (DoS). Além disso, a Zurich oferece serviços de resposta a incidentes, que incluem assistência forense, negociação e pagamento de resgate em casos de ransomware, e suporte legal e de relações públicas para gerenciar as consequências de uma violação de segurança.

2. AXA Brasil

AXA Brasil oferece seguros cibernéticos que são adaptados para proteger empresas de todos os tamanhos contra uma variedade de ameaças cibernéticas. A apólice típica da AXA Brasil cobre os custos associados à recuperação de dados, reparos de sistemas, além de cobrir a responsabilidade legal por danos causados a terceiros. A AXA também se destaca por fornecer acessos a especialistas em cibersegurança que podem ajudar na mitigação de riscos antes e após um incidente.

3. AIG

AIG é uma das líderes do setor quando se trata de seguro cibernético, oferecendo soluções robustas para uma ampla gama de ameaças cibernéticas. A apólice de seguro cibernético da AIG inclui cobertura para extorsão cibernética, custos de defesa legal, e perdas financeiras diretas causadas por incidentes cibernéticos. A AIG também oferece programas educacionais para ajudar as empresas a entender melhor e mitigar seus riscos cibernéticos.

Essas apólices são fundamentais para empresas que procuram proteger-se contra as crescentes ameaças digitais, oferecendo não apenas suporte financeiro, mas também técnico e estratégico para lidar com os desafios de segurança cibernética.

Estrutura das Coberturas: Resposta a Incidentes e Responsabilidade Civil

No âmbito dos seguros cibernéticos para pessoas jurídicas no Brasil, as coberturas são geralmente categorizadas em dois grandes grupos essenciais. O primeiro grupo, frequentemente chamado de “primeira parte” ou “resposta a incidentes”, abrange as ações técnicas necessárias para restabelecer o ambiente operacional após um ataque. Este grupo inclui serviços como perícia forense para recuperação de dados, gestão de crises de imagem e cobertura de lucro cessante.

O segundo grupo de coberturas, relacionado à responsabilidade civil, foca nos danos causados a terceiros, especialmente os clientes do segurado. Este tipo de cobertura é crucial para mitigar os impactos financeiros e legais decorrentes de incidentes como infiltrações de dados ou vazamentos que afetam pessoas físicas. Ambas as categorias de cobertura são fundamentais para fornecer uma proteção abrangente, garantindo tanto a recuperação da empresa quanto a gestão de responsabilidades externas decorrentes de incidentes cibernéticos.

“Inicialmente, o seguro de cyber era predominantemente um seguro de responsabilidade, focado em cobrir danos a terceiros, como em casos de vazamento de dados. Com a evolução dos riscos, ele se expandiu para incluir coberturas de primeira parte, ajudando empresas a lidar com lucros cessantes e notificações de incidentes.” (Victor Perego – Líder do Time de Subscrição na AIG)

A trajetória do seguro cibernético reflete a evolução das necessidades e riscos enfrentados pelas empresas na era digital. Inicialmente concebido como um seguro de responsabilidade civil focado primariamente em coberturas de terceiros, o seguro cibernético era destinado a proteger as empresas contra processos e indenizações decorrentes de vazamentos de dados. Essa abordagem refletia a necessidade emergente de proteger contra os custos diretos de defesas legais e reclamações de terceiros afetados por incidentes de segurança.

Contudo, desde o final dos anos 90, a complexidade e frequência dos riscos cibernéticos têm aumentado significativamente, impulsionando uma expansão nas ofertas de seguro. A “primeira parte” do seguro cibernético, que se concentra na resposta direta ao incidente, ganhou importância. Isso inclui suporte em períodos de lucros cessantes, notificação de terceiros prejudicados, e outras medidas reativas essenciais para mitigar os danos causados pelo incidente.

Paralelamente ao seguro cibernético tradicional, existe também o produto de mercado relacionado a crimes corporativos, especificamente focado em fraudes e roubo direto de dinheiro. Com a crescente prevalência de crimes cibernéticos que envolvem engenharia social e outras técnicas para desviar fundos, alguns produtos de seguro cibernético passaram a cobrir também perdas financeiras diretas resultantes dessas violações.

A escolha entre uma apólice pura de crime e uma apólice de seguro cibernético que inclua cobertura para cyber crime depende da avaliação de risco da empresa e de suas prioridades específicas. Empresas podem optar por apólices especializadas dependendo de suas vulnerabilidades específicas e de como elas optam por gerenciar seus riscos cibernéticos e criminais.

Assim, o seguro cibernético moderno é multifacetado e adaptável, permitindo que as empresas personalizem sua cobertura para proteger contra uma ampla gama de riscos digitais e financeiros. Esta flexibilidade é essencial em um mundo onde as ameaças cibernéticas estão em constante evolução e diversificação.

Coberturas Oferecidas pelo Seguro Cibernético

Os seguros cibernéticos oferecem diversas coberturas, adaptadas às necessidades específicas de cada empresa. Estas incluem:

  1. Responsabilidade por Violação de Dados: Cobre custos legais e indenizações resultantes de violações de dados que expõem informações sensíveis de clientes.
  2. Recuperação de Dados: Financia a recuperação de dados perdidos após um ataque cibernético, incluindo os custos de especialistas em forense digital para investigar a origem e o impacto do ataque.
  3. Interrupção de Negócios: Compensa a perda de receita durante períodos de inatividade forçada causada por ataques cibernéticos, garantindo que as operações possam ser retomadas rapidamente.
  4. Extorsão Cibernética: Fornece recursos para responder a incidentes de ransomware, onde os criminosos exigem pagamento para desbloquear sistemas ou dados sequestrados.
  5. Custos de Notificação e Monitoramento de Crédito: Cobertura para os custos associados à notificação de partes afetadas por uma violação de dados e serviços de monitoramento de crédito para ajudar a prevenir fraudes futuras.

Investimento em Educação e Formação Contínua

A importância de investir em educação e formação contínua na área de segurança cibernética é amplamente reconhecida como uma das defesas mais eficazes contra as ameaças digitais.

Paulo Condutta, CISO do Ouribank, destaca essa necessidade, sublinhando que “Investir em educação e formação continuada é essencial para manter uma equipe de segurança informada e preparada. Não apenas a formação acadêmica, mas também a experiência prática e o aprendizado contínuo são fundamentais para lidar com os desafios de segurança.”

A formação contínua em segurança cibernética vai além de simplesmente ensinar técnicas de defesa; ela deve abranger uma compreensão profunda das tendências emergentes, como inteligência artificial, aprendizado de máquina e segurança quântica, para preparar os profissionais para o futuro. 

Além disso, segundo um relatório da Cybersecurity Ventures, espera-se que os custos globais com crimes cibernéticos atinjam $10,5 trilhões anualmente até 2025, tornando a capacitação uma necessidade imperativa para qualquer instituição que deseja proteger seus ativos digitais.

Programas de formação podem incluir simulações de ataques cibernéticos, workshops sobre as mais recentes vulnerabilidades de software, e cursos sobre regulamentações de proteção de dados. Esses programas não apenas aumentam a habilidade técnica dos profissionais de TI, mas também promovem uma cultura de segurança consciente em toda a organização.

Como escolher a melhor apólice para minha empresa?

Escolher a melhor apólice de seguro cibernético pode ser uma decisão crucial para proteger sua empresa contra ameaças online. Aqui estão algumas etapas que você pode seguir para encontrar a apólice mais adequada:

  1. Avalie as necessidades da sua empresa: Antes de começar a procurar uma apólice, faça uma avaliação completa dos riscos cibernéticos que sua empresa enfrenta. Considere o tipo de dados que você armazena, as regulamentações do setor e o potencial impacto financeiro de uma violação de segurança.
  2. Pesquise diferentes provedores de seguro: Existem muitas seguradoras que oferecem apólices de seguro cibernético. Pesquise diferentes provedores para comparar coberturas, limites de responsabilidade, custos e termos de apólice.
  3. Considere as coberturas oferecidas: Procure por apólices que ofereçam cobertura abrangente para uma ampla gama de eventos, como violações de dados, interrupções de negócios, extorsão cibernética e responsabilidade cibernética.
  4. Verifique as exclusões da apólice: Leia atentamente os termos da apólice para entender quais eventos e situações não são cobertos. Certifique-se de que a apólice aborda os riscos específicos que sua empresa enfrenta.
  5. Avalie a reputação da seguradora: Escolha uma seguradora confiável e bem estabelecida, com uma boa reputação no mercado de seguros cibernéticos. Pesquise avaliações de clientes e avaliações de especialistas para ajudar a informar sua decisão.
  6. Consulte um corretor de seguros: Um corretor de seguros especializado em seguros cibernéticos pode ajudá-lo a entender suas opções e encontrar a melhor apólice para suas necessidades específicas.
  7. Considere o suporte pós-violacão: Além da cobertura financeira, verifique se a seguradora oferece serviços de gerenciamento de crises e suporte pós-violacão, como assistência jurídica, resposta a incidentes e monitoramento de crédito para vítimas de roubo de identidade.
  8. Analise o custo em relação aos benefícios: Pese o custo da apólice em relação aos benefícios e à proteção que ela oferece. Lembre-se de que investir em segurança cibernética é um aspecto importante da gestão de riscos para empresas modernas.

Ao seguir essas etapas, você estará mais bem preparado para escolher a melhor apólice de seguro cibernético para sua empresa. Sempre revise regularmente suas necessidades de seguro à medida que sua empresa cresce e evolui.

Postagens recomendadas
Outras postagens