27.8 C
São Paulo
sábado, junho 15, 2024
InícioCibersegurançaEntenda o que é SOC - Centro de operações de segurança: a ferramenta...

Entenda o que é SOC – Centro de operações de segurança: a ferramenta estratégica que vai revolucionar a cibersegurança da sua empresa

O que é um SOC?

O Centro de Operações de Segurança (SOC) é uma estrutura que concentra especialistas em cibersegurança para monitorar e agir contra ameaças cibernéticas 24 horas por dia. Esse centro pode ser gerenciado internamente por uma empresa, através de uma MSSP (provedora de serviços de segurança gerenciados) ou em um formato híbrido. O trabalho remoto e o armazenamento em nuvem têm aumentado a demanda por SOCs devido às crescentes preocupações com a segurança dos dados.  

A importância do SOC é ressaltada tanto pelo previsto crescimento anual de 9% no mercado de segurança digital até 2025, de acordo com o Global Cybersecurity Market Overview, quanto por sua contribuição para a conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), minimizando riscos de vazamentos e possíveis penalidades.

Para que serve?

Um SOC serve para monitorar e melhorar a postura de segurança de uma organização. Suas principais atribuições são prevenir, detectar, analisar e responder a incidentes de segurança cibernética. O objetivo do SOC vai além da simples detecção de ameaças, focando na defesa eficaz do negócio. A operação bem-sucedida de um SOC envolve não apenas a identificação de ameaças, mas a eficácia em responder a elas.  

Para isso, operam com base em pessoas qualificadas, processos bem definidos e tecnologias integradas. Suas duas funções básicas são o monitoramento e detecção de ameaças, bem como a resposta ágil e eficaz a incidentes, garantindo que a organização retome suas operações e aprenda com os incidentes anteriores para prevenir futuras ameaças. 

Cristina Cestari, CIO da Volkswagen e convidada do podcast Itshow, observou que “muitas organizações têm um SOC muito organizado. Então você tem uma equipe de monitoramento dedicada que está olhando não só para o que está acontecendo dentro da organização, mas está muito antenada com tudo que está surgindo de novidade.” Esta declaração destaca como os SOCs são fundamentais, não apenas para monitorar ameaças internas, mas também para estar atualizados sobre as últimas tendências e ameaças emergentes.

centro de operações de segurança (SOC)
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

Por que usar?

Uma empresa deve usar um SOC por várias razões críticas para a segurança de suas informações, como destaca Cristina: “Então, quando a gente fala de SOC, a gente está falando de conhecimento, identificação e reação…”  

Primeiro, o SOC proporciona uma visibilidade e centralização de dados completa e contínua, permitindo que a empresa tenha um panorama claro de seu ambiente de segurança e possa priorizar ações baseadas em avaliações detalhadas. Essa centralização facilita o gerenciamento de diversas ferramentas de segurança, como firewalls e antivírus, tornando as respostas a incidentes mais rápidas e eficientes.  

Em segundo lugar, o SOC é fundamental para a detecção proativa de falhas e brechas em sistemas, permitindo que a empresa identifique e corrija vulnerabilidades antes que elas possam ser exploradas por cibercriminosos. Terceiro, o SOC é configurado para fornecer uma resposta rápida e eficaz a ataques cibernéticos, com recursos dedicados que monitoram constantemente o ambiente da empresa e geram alertas para ações imediatas, reduzindo assim o potencial de danos.  

Por fim, o SOC permite a realização de testes de penetração (Pentest) e operações de Red Team, que simulam ataques reais para avaliar a resiliência da segurança da empresa. Estes testes ajudam a entender até onde um atacante pode penetrar nos sistemas e obter informações sensíveis, permitindo que a empresa fortaleça proativamente suas defesas. 

Benefícios do centro de operações de segurança

Aprimoramento na detecção de incidentes

O SOC aprimora a detecção de incidentes de segurança por meio de análises contínuas e monitoramento ininterrupto, garantindo identificação e resposta oportunas a incidentes.

Proteção constante

As empresas têm proteção contra incidentes de segurança e invasões a qualquer hora, independente da origem ou tipo de ataque.

Redução no tempo de detecção e resposta

Ao estabelecer um SOC, as empresas podem reduzir significativamente o tempo médio para detectar e responder a uma violação, mitigando ou eliminando os impactos de ataques cibernéticos.

Visibilidade abrangente

O SOC visa obter uma visão completa do cenário de ameaças da organização, que inclui redes, endpoints, aplicativos, servidores e o fluxo de tráfego relacionado.

Uso eficiente das ferramentas de segurança

As equipes de SOC possuem as habilidades necessárias para utilizar todas as ferramentas de segurança cibernética disponíveis e maximizar a agilidade e eficiência dos processos do SOC.

Seguranca na era digital 03
Entenda o que é SOC - Centro de operações de segurança: a ferramenta estratégica que vai revolucionar a cibersegurança da sua empresa 6

Ouça agora o Ep. 9 do podcast Itshow no Spotify!

Medidas preventivas

O SOC se concentra em medidas como preparação, onde os membros da equipe se mantêm atualizados sobre as últimas inovações e tendências de segurança, e manutenção preventiva, que envolve a atualização e manutenção regular de sistemas, correção de vulnerabilidades e atualização de políticas de segurança.

Monitoramento contínuo da rede

Ferramentas de monitoramento como EDR e SIEM são utilizadas para escanear a rede periodicamente e identificar atividades suspeitas.

Análise comportamental

Algumas ferramentas avançadas empregam análise comportamental para diferenciar entre operações normais e comportamento de ameaça real, limitando a necessidade de triagem e análise humana.

Priorização e resposta a alertas

O SOC é responsável por avaliar alertas, eliminar falsos positivos, identificar ameaças reais e responder de forma rápida.

Mitigação de ameaças

Quando um incidente é identificado, a equipe de SOC age para isolar ou desligar os pontos de acesso infectados, interromper processos maliciosos e remover malware, visando a continuidade das operações da organização.

Supervisão pós-ataque

O SOC garante que, após um ataque, as etapas necessárias sejam tomadas para mitigar a ameaça e se comunicar com as partes afetadas.

Recuperação eficaz após incidentes

A equipe de SOC ajuda as empresas a se recuperarem de incidentes, o que pode incluir a limpeza de ransomware ou malware, redefinição de senhas e limpeza de endpoints infectados.

Habilidades e conhecimentos necessários para trabalhar com segurança cibernética 

À medida que o SOC se torna cada vez mais relevante no cenário empresarial, surge um crescente campo de atuação para especialistas em segurança cibernética. Assim, para que a equipe possa detectar, neutralizar e eliminar eficazmente um incidente, minimizando sua interferência nos negócios, os profissionais envolvidos no SOC devem possuir competências específicas: 

  • Domínio sobre instrumentos de segurança, incluindo SIEM, EDR, DLP, firewalls, programas antivírus e soluções de identificação de invasões (IDS/IPS);
  • Entendimento aprofundado sobre a variedade de ameaças digitais e seus respectivos traços;
  • Familiaridade com estruturas de segurança, como o Framework de Cibersegurança do NIST;
  • Expertise em áreas como cibersegurança, redes e sistemas operacionais;
  • Habilidade para analisar e examinar ocorrências de segurança;
  • Ter noções em linguagens de programação, como Python ou Shell, é um diferencial.
Seguranca na era digital 02
Entenda o que é SOC - Centro de operações de segurança: a ferramenta estratégica que vai revolucionar a cibersegurança da sua empresa 7

Baixe nosso material de apoio e aprofunde ainda mais seu conhecimento sobre a importância do SOC e a cultura da cibersegurança!

Formação básica de uma equipe de SOC 

A composição do SOC é adaptada de acordo com as especificidades e demandas de cada empresa, estabelecendo diretrizes para enfrentar as ameaças mais frequentes. No entanto, para quem deseja ingressar no campo, é vital compreender a estrutura típica de uma equipe de segurança de SOC. Embora o número de integrantes possa variar conforme o local, geralmente, um time de SOC é composto por:

Líder de Equipe

Este especialista assume o papel central, preparado para atuar em qualquer função, conforme necessário. Além disso, supervisiona todos os processos e sistemas essenciais para a proteção digital da organização;

Especialista de SOC

Este profissional se dedica à análise e síntese das informações obtidas regularmente ou em situações de incidentes de segurança;

Investigador/Expert Forense

Atua principalmente após um incidente de segurança, buscando compreender a origem, os motivos e potenciais fragilidades que possam ter sido exploradas;

Guardião de Dados (DPO)

Este profissional foca na conformidade com a LGPD, garantindo que a organização atenda às prescrições legais.

SOC x NOC

Função e resposta a incidentes

Enquanto a estratégia NOC (Centro de Operação de Rede) permite uma rápida resposta a incidentes de todo o ambiente (como problemas em servidores, computadores com lentidão, smartphones, etc.), o SOC se ocupa especificamente da monitoração, detecção e resposta a incidentes de segurança.

Origem das informações

O monitoramento em tempo real operado pelo NOC fornece informações essenciais para a estratégia do SOC agir eficientemente contra variações e possíveis ataques.

Papéis distintos

Apesar de algumas pessoas confundirem os papéis de um SOC e de um NOC, eles têm funções distintas. Um SOC não é um NOC, mas um NOC desempenha um papel importante na operação de um SOC.

Foco operacional

Enquanto o SOC é focado em segurança e resposta a incidentes de segurança, o NOC tem como objetivo principal supervisionar, monitorar e manter as redes de comunicações. 

Relação e consumo de informações

As informações geradas por um NOC são integralmente consumidas por um SOC para determinar se um incidente de segurança está ocorrendo ou não.

ilustração digital de um cadeado em um banco de dados
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

SOC é uma ferramenta estratégica

A operação de um SOC combina pessoas, processos e tecnologias, servindo como uma ferramenta valiosa tanto tática, quanto estratégica para as empresas. Para maximizar sua eficácia, o SOC precisa ser planejado, com foco nos objetivos do negócio. A estrutura, tecnologia e processos do SOC devem alinhar-se com o mapa estratégico e de riscos da empresa, garantindo que suas ações estejam em sintonia com as prioridades da organização.

6 principais desafios do SOC

Os desafios enfrentados pelos SOCs são inúmeros. Conforme Cestari explica: “diariamente, saem notícias sobre vulnerabilidades das mais diferentes ferramentas, versões, então o SOC tem que ter uma origem, tem que consumir muito rapidamente essas informações…”. Isso enfatiza a necessidade contínua de vigilância, já que a paisagem de ameaças está sempre evoluindo e as organizações precisam se adaptar rapidamente. Entre os principais desafios, estão:

1 – Lacuna de Talentos

No cenário global de segurança cibernética, observa-se uma grande escassez de profissionais especializados, levando a milhões de vagas não preenchidas. Esta falta de talento torna o recrutamento para os SOCs um desafio, aumentando o risco de sobrecarga e desgaste da equipe. Em resposta a isso, os SOCs podem direcionar seus esforços para identificar e treinar talentos internos, garantindo também que cada função tenha um substituto preparado para assumir, caso surjam imprevistos.

2 – Atacantes Sofisticados

A proteção da rede é vital para a estratégia de segurança cibernética de qualquer empresa. O avanço e habilidade dos cibercriminosos modernos permite que muitos deles superem as medidas de segurança tradicionais. Para combater isso, é essencial adotar ferramentas que incorporem machine learning e detecção de anomalias, auxiliando na identificação de ameaças avançadas e diminuindo a dependência de análises manuais.  

“Isso é um ciclo, ele vai se realimentando diariamente…”, explica Cestari, quanto a função do SOC. A ideia subjacente é que, embora os defensores possam estar frequentemente na defensiva, a capacidade de reagir rapidamente pode fazer toda a diferença.

3 – Big Data  

Organizações contemporâneas enfrentam a tarefa de gerenciar e analisar grandes volumes de dados e tráfego de rede. Com o contínuo crescimento de registros de log, torna-se imperativo processar essa informação em tempo real. Para enfrentar esse obstáculo, os SOCs empregam ferramentas automatizadas que auxiliam na correlação, filtragem e consolidação de dados, simplificando a análise.

4 – Fadiga de alerta 

Muitos sistemas de segurança inundam os SOCs com alertas, dos quais uma parcela significativa pode ser irrelevante ou descontextualizada. Alertas de baixa qualidade podem desviar a atenção de ameaças genuínas e mais críticas. Portanto, é vital que os SOCs estabeleçam uma estratégia robusta de priorização, utilizando ferramentas de análise comportamental para assegurar uma resposta prioritária aos alertas mais críticos.

hacker, cracker
Imagem gerada por Inteligência Artificial (IA)

5 – Ameaças desconhecidas 

Os métodos tradicionais de detecção, como firewalls e sistemas baseados em assinaturas, frequentemente se mostram ineficientes contra ameaças inéditas ou ataques de zero day. Para melhorar a capacidade de resposta a essas ameaças, os SOCs devem continuamente otimizar e inovar suas regras, assinaturas e métodos de detecção, utilizando análises comportamentais para identificar atividades atípicas.

6 – Sobrecarga da ferramenta de segurança

Muitas empresas, em sua busca por segurança, investem em uma infinidade de ferramentas. No entanto, essas ferramentas normalmente operam de forma isolada e podem não perceber ameaças que transitam entre diferentes sistemas. Como uma medida proativa, a integração de tecnologias se torna vital, pois permite uma visão consolidada das ameaças, cruzando informações de diversos sistemas. 

As organizações precisam ir além do mero monitoramento interno e estar prontamente atualizadas sobre as ameaças emergentes. O cenário de cibersegurança é dinâmico, com ameaças evoluindo a cada dia. No entanto, a eficácia de um SOC não se limita apenas à detecção, mas também à sua capacidade de identificação, reação e prevenção. A flexibilidade na estruturação do SOC, seja internamente ou através de serviços contratados, sublinha a adaptabilidade necessária para enfrentar ameaças cibernéticas em constante mutação. Através destas reflexões, percebe-se que um SOC proativo e bem organizado é, sem dúvida, a linha de frente na defesa contra adversários cibernéticos.

Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow direto no seu email.

Fernanda Martins
Fernanda Martins
Formada em Letras, com pós em mídias sociais, e redatora do portal de notícias Itshow. Já escreveu para vários blogs de cultura pop, produziu conteúdo no Facebook e no Instagram sobre literatura e até escreveu algumas fanfics pela internet. Hoje, se especializa em redação e usa suas habilidades de escrita crítica e literária para trazer mais sensibilidade aos textos e continuar fazendo o que ama.
Postagens recomendadas
Outras postagens