22.8 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024
InícioLiderança de TISaiba mais sobre a Plataforma Tainá e a logística do Projeto S...

Saiba mais sobre a Plataforma Tainá e a logística do Projeto S do Instituto Butantan

O Itshow conversou com Claudia Anania, Diretora de TI do Instituto Butantan, que nos contou vários detalhes sobre a Plataforma Tainá e a logística necessária para vacinar toda a população adulta da cidade de Serrana, SP. 

Como funciona a Plataforma Tainá

A plataforma Tainá foi desenvolvida pelo Instituto Butantan com a intenção de monitorar todo o processo de imunização, desde a distribuição de doses até a aplicação das vacinas na população. A ferramenta ainda consegue gerar relatórios em tempo real e obter informações precisas sobre o estoque de vacinas em cada posto de vacinação, além de monitorar a quantidade de doses aplicadas.

Equipe responsável pela Plataforma Tainá do Instituto Butantan

Em 2021, a Tainá levou o Instituto Butantan a vencer o Prêmio Case de Sucesso Portal IT4CIO, na 19ª edição do evento nacional CIO Brasil GOV, com o estudo “Instituto Butantan utiliza ferramenta para avaliar a modificação da pandemia com a vacina CoronaVac em Serrana-SP”.

O que é Projeto S?

Em fevereiro de 2021, o Instituto Butantan, em conjunto com a Prefeitura Municipal de Serrana, anunciou o lançamento do Projeto S, visando avaliar a eficácia da CoronaVac, fazendo a vacinação de toda a população adulta da cidade localizada no interior de São Paulo, com cerca de 45 mil habitantes. Para isso, o instituto precisou mobilizar uma grande equipe e utilizar tecnologias avançadas, como a Plataforma Tainá, que foi desenvolvida especialmente para a logística de vacinação em massa.

A imunização da população de Serrana foi um sucesso, tendo alcançado uma cobertura vacinal de 97,9% dos adultos. O Projeto S foi responsável pela redução dos casos e óbitos por COVID-19 na cidade.

Logística do Projeto S

A imunização de Serrana ocorreu em quatro etapas, no período de dois meses. Ao longo desse tempo, o monitoramento do projeto acontecia diariamente e em tempo real, devido à implementação da Tainá.

O processo de implantação do Projeto S durou cerca de três meses e reuniu cerca de 500 pessoas, sendo que 20 colaboradores eram da equipe de TI. O estudo clínico, inédito no mundo, foi concluído com efetividade pelo instituto na cidade.

Para garantir que o ensaio clínico de vacinação funcionasse adequadamente, foi usado o método de implementação escalonada por conglomerados (stepped-wedge trial). A cidade foi dividida em 25 áreas, separadas em quatro grupos representados pelas cores: verde, amarelo, cinza e azul. Os moradores de cada grupo receberam as doses de imunizante seguindo esta ordem. A vacinação ocorreu em quatro fases sequenciais, para todas as pessoas maiores de 18 anos elegíveis.

Entre fevereiro e abril de 2021, em um período de oito semanas, cerca de 27 mil moradores do município foram totalmente imunizados, recebendo duas doses da CoronaVac, com um intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda dose.

Por que a plataforma Tainá foi essencial?

A plataforma Tainá foi fundamental para o projeto S pois permitiu que os dados coletados durante o estudo fossem organizados, gerenciados e analisados de forma eficiente e precisa. Através da Tainá foi possível registrar todas as informações relevantes sobre a vacinação, como a data e o local da aplicação das doses, bem como os dados pessoais dos participantes, como idade, gênero e condições de saúde.

A Tainá também ofereceu recursos avançados de análise de dados, que permitiu que os pesquisadores avaliassem a eficácia da vacina em diferentes grupos de participantes e conseguissem identificar eventuais efeitos colaterais ou reações adversas. Com base nessas informações foi possível realizar ajustes no plano de vacinação e tomar decisões sobre a melhor maneira de lidar com a pandemia.

Além disso, a ferramenta foi utilizada como assistente virtual para facilitar a interação dos moradores com os pesquisadores, por meio do WhatsApp, onde respondia dúvidas após a vacinação e encaminhava os casos mais complexos para as equipes de saúde.

Eficiência da tecnologia da Plataforma Tainá

O Instituto Butantan é uma das principais instituições de pesquisa em saúde do Brasil, com um histórico de excelência na produção de vacinas e soros. Em meio à pandemia da COVID-19, o instituto se tornou ainda mais relevante, tendo se destacado na produção da CoronaVac, uma das principais vacinas utilizadas no país.

“A gente precisava garantir, primeiro, que aquela pessoa que estava chegando para ser vacinada era realmente moradora de Serrana. Assim, antes da vacinação, foi feito um censo na cidade. Depois, fizemos uma série de fases que cada pessoa passava até chegar na vacina. Tudo isso foi controlado pela Tainá”, comentou Cláudia Anania em entrevista ao Itshow.

O sucesso do Projeto S em Serrana é um exemplo de como a tecnologia e a colaboração entre instituições e profissionais podem contribuir para a luta contra a pandemia da COVID-19. A Plataforma Tainá e a logística de vacinação em massa utilizadas pelo Instituto Butantan em Serrana mostraram que é possível vacinar toda uma população em tempo recorde, desde que haja planejamento, recursos e colaboração.

Imagens de divulgação: Instituto Butantan

Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow em sua caixa de entrada.

Erika Rodrigues
Erika Rodrigues
Sou repórter e redatora no Itshow. Já produzi diversas matérias como jovem repórter do Núcleo de Jornalismo Investigativo da Record TV, onde também fiz parte da equipe de apuração da Agência Record, abastecendo os principais jornais da casa, além do portal R7. Com dedicação e comprometimento, estou sempre em busca de novos desafios e oportunidades de crescimento em carreira.
Postagens recomendadas
Outras postagens