14.1 C
São Paulo
segunda-feira, julho 22, 2024
InícioCibersegurançaRoadsec 2023: o maior evento de hackers da América Latina aconteceu em...

Roadsec 2023: o maior evento de hackers da América Latina aconteceu em SP

No último sábado (15), aconteceu o Roadsec 2023. O Itshow esteve presente e conta tudo para você!

Conhecido como o maior encontro de hackers da América Latina, o evento surgiu para ajudar na desmistificação do hacker como o vilão que invade computadores, mas sim, voltar ao significado original da palavra, que era usada para “descrever programadores brilhantes, além de exaltar a cultura de compartilhamento de conhecimento e códigos que se criou em torno deles”, explica Anderson Ramos, CEO da Flipside e idealizador do evento. 

palco principal Roadsec 2023
palco principal

O Brasil, que atualmente ocupa a 11ª posição no ranking global de tecnologia, deve avançar 5% em 2023, tendo o mercado de TI impulsionado, principalmente, pelo consumo de soluções tecnológicas pelas empresas (B2B), que deve crescer 8,7% – com destaque para as áreas de Software e Cloud. Dentre as áreas de maior crescimento de mercado neste ano, estão a inteligência artificial, nuvem, segurança e analytics.

“Eu particularmente sempre vi o hacking como uma subcultura que tem na tecnologia sua plataforma de expressão, por isso criamos um evento receptivo a qualquer pessoa que se interesse pelo tema, seja ela de segurança, programadora, maker ou ativista. As dezenas de milhares de participantes que fizeram o evento crescer de forma ininterrupta por quase uma década são prova de que estávamos no caminho certo”, conclui.

Sobre o evento

O Roadsec já percorreu todo o Brasil em seus 9 anos de vida, e a grande edição de 2023 ocorreu em São Paulo, como o maior festival hacker da América Latina, no espaço ARCA, unindo conhecimento, oficinas, cultura, música e networking com a comunidade hacker brasileira. Focado em profissionais técnicos, desde iniciantes aos mais experientes, é um evento de alcance internacional que reúne apaixonados por tecnologia de todo o país para compartilhar conteúdo, fazer networking e fomentar a comunidade de segurança da informação e tecnologia.

Roadsec 2023
Roadsec 2023

Os Keynote Speakers deste ano foram a Adriana Saty, criadora de conteúdo e desenvolvimento de software, que falou como a tecnologia data driven pode ser aplicada no uso pessoal e o Bruno Sartori, jornalista especialista em IA para criação de Deep Fakes.

Com 11 palcos simultâneos e tematicos, a primeira coisa diferente sobre o Roadsec 2023  foram os fones de ouvido. Cada participante do evento tinha o direito de retirar um fone que vinha conectado a um rádio que transmitia ao vivo o que estava sendo falado em cada palco, era só selecionar a estação do palco em que você estava. Com isso, a poluição sonora dentro da ARCA estava ínfima, o que deixou o evento muito confortável. O espaço também contou com 2 lounges de descanso, área para jogar videogames, muitos computadores conectados à internet e vários expositores da área prontos para compartilhar suas inovações.

Roadsec 2023
Estande da Starkbank

Os palcos foram divididos por assuntos, o que ajudou muito na hora de se programar para assistir às palestras. O palco principal realmente fez jus ao nome, se destacando sobre todos os outros e sendo transmitido ao vivo pelo Youtube durante todo o evento, totalizando mais de dois mil espectadores online. Porém, isso não diminuiu a funcionalidade dos palcos menores, que cumpriram seus propósitos. Os temas foram: Ataque, Defesa, Front End, Back End, Hardware, Data Science, Cloud e Privacidade.

Fora os palcos, o evento também contou com oficinas e atividades hands-on espalhadas por 5 vilas: OSINT, Mobile, AppSec, Hardware e Kids. Vale ressaltar a presença expressiva de crianças já se preparando para trilhar os caminhos da TI. Outra atração essencial foi a  grande final do Capture The Flag (CTF), campeonato hacker organizado pelo Hackaflag, com o prêmio de 80 mil reais para o primeiro colocado. Este ano, o Roadsec foi marcado pela estreia das Vilas de Conteúdo e Mentorias, áreas inéditas. 

O Roadsec 2023 também contou com uma área de exposição com estandes de grandes marcas do mercado de tecnologia, com ativações e atividades promovidas pelos patrocinadores, além da feira de recrutamento com oportunidades para quem está entrando no mercado ou está em busca de novos desafios. Em 2022, foram mais de 2000 vagas disponíveis durante o evento!

Para encerrar, o evento contou com uma After Party que apresentou 2 bandas e 7 DJ’s, todos artistas com conexão com a cultura hacker ou com a audiência da comunidade abordada pelo evento.

Palestras

A equipe do Itshow acompanhou algumas palestras do Roadsec 2023, principalmente as que ocorreram no palco Aleph Chillout, que se tratavam prioritariamente de palestras sobre ações coletivas e sobre segurança da informação.

Luccas Bertti, fundador do SOC Brazil, palestrou sobre a importância da criação de um playbook para a padronização da aplicação do SOC, defendendo que, assim, as ações de preparação, detecção, mitigação e correção das vulnerabilidades seriam mais rápidas e eficientes, causando menos danos aos sistemas. Com a ajuda de um participante da plateia, Bertti provou seu ponto mostrando que cada pessoa tem um conceito diferente sobre um problema, o que geraria uma ação diferente e, consequentemente, uma reação diferente. Assim, um playbook traz a padronização necessária para que o SOC funcione sempre da mesma maneira, o que otimizaria as ações e as tornaria mais à prova de falhas.

Luccas Bertti Roadsec 2023
Luccas Bertti, fundador do SOC Brazil

Bruno Sartori, um dos Keynote Speakers convidados e jornalista especialista em IA para criação de deepfakes, falou em sua palestra “Deepfakes – Não acredite nem vendo (ou ouvindo)” sobre essa tecnologia que vem causando muita preocupação com a criação de novos golpes na internet. Desde 2019, Bruno produz vídeos de humor usando as deepfakes para conscientizar as pessoas sobre os perigos dessa ferramenta e fazer com que elas se familiarizem com determinados traços que deixam claro que determinado vídeo é falso. “É melhor que elas tenham contato com a técnica agora, com um vídeo de humor, do que um conteúdo feito com o objetivo de enganá-las.” 

O público pôde acompanhar os detalhes da produção do conteúdo com deepface, suas considerações legais de utilização e algumas perspectivas gerais do uso em ano eleitoral. “Uma fake news é uma notícia contada e a pessoa acredita. Agora, imagine um vídeo da própria pessoa confessando um crime, dizendo uma coisa absurda?”, explica. 

A área kids contou com palestras sobre segurança na internet e dicas para os pais. Chamada de Sec4kids, a iniciativa foi criada para sensibilizar crianças, jovens e responsáveis sobre a importância de uma navegação saudável e segura. O foco era contribuir efetivamente para a segurança das crianças na internet. Além de palestras, o espaço também promoveu atividades lúdicas para que crianças e pais pudessem entender melhor a importância de se promover a cultura da privacidade e segurança digital.

Ricardo Maganhati Junior Roadsec 2023
Ricardo Maganhati Junior, autor e criador do Canal Hacker

Ricardo Maganhati Junior também esteve presente para falar um pouco sobre o processo de criação do seu livro “Cowboys do cyberespaço”, que teve como inspiração a cultura hacker e cyberpunk. O autor e criador do Canal Hacker contou sobre suas inspirações em livros e filmes, como 1984 e Blade Runner, assim como, na própria cidade de São Paulo. 

O destaque do palco Aleph Chillout ficou para a iniciativa Maria Lab, que é uma organização sem fins lucrativos que atua desde 2014 na intersecção entre gênero, raça, política e tecnologia, com o desejo de tornar os espaços de tecnologia mais plurais. Com a palestra “Autonomia por padrão: linha de ajuda, software livre, cuidados digitais, e metodologias feministas – uma conversa com a Maria Lab”, Lai Almeida expôs os projetos da organização na busca por mais igualdade e representatividade, usando a tecnologia como uma ferramenta da luta feminista.

Lai Almeida contou como uma equipe de apenas 8 pessoas mantém iniciativas como o projeto Vedetas, um servidor onde coletivos feministas podem criar sua própria intranet e subir seus arquivos para acessá-los em locais onde não há conexão com a internet, como comunidades indígenas e quilombolas. Outra iniciativa abordada na palestra foi a chamada Maria Vilani, um conjunto de plataformas online onde mulheres podem produzir conteúdos de texto, áudio e vídeo, usando o mínimo de memória de seus computadores e celulares e contando com o máximo de segurança, proteção e autonomia. 

Lai Almeida Roadsec 2023
Lai Almeida, Maria Lab

“O lugar das tecnologias digitais (e tantos outros) vem sendo negado às mulheres e às diversidades sexuais, mas nós resistimos, criamos nossas próprias redes online e offline para seguirmos juntas ocupando todos os espaços.” (Oliveira et al. 2020)

Com o objetivo de manter a segurança das mulheres na internet, nasceu o projeto Maria D’ajuda, outra iniciativa da Maria Lab. “A Maria D’ajuda é um serviço gratuito que fornece ajuda emergencial para casos de ameaça e perseguição na internet”, apontou Lai Almeida. “Atendemos toda América Latina com um sistema de atendimento que retorna o contato em até 48 horas”. Os eixos de atendimento abrangem segurança digital em redes sociais, repressão, perseguição, censura e segurança organizacional.

Além disso, a Maria Lab ainda produz material de apoio gratuito com linguagem acessível para ajudar as mulheres a programar, subir um site e até construir a sua própria rede comunitária. Por enquanto, a iniciativa não trabalha com o público final, mas sim, com coletivos feministas e organizações sociais, que agem como intermediárias dos treinamentos e palestras.

Teteus Bionic, programador de jogos e embaixador mirim da IBM, deu uma aula sobre o HuggingFace, uma ferramenta que permite que os usuários criem, treinem e implementem modelos de ML (Machine Learning) para automatizar tarefas, que vão muito além do texto, como o já conhecido ChatGPT. Praticamente, uma comunidade onde cientistas de dados, pesquisadores e engenheiros de ML podem compartilhar projetos e informações. 

Com algumas simulações, ele mostrou como usar um prompt no ChatGPT para fazê-lo acessar outras inteligências artificiais para analisar e desenhar imagens, por exemplo. O objetivo da palestra foi apontar que é possível fazer as IA’s trabalharem em conjunto para otimizar várias funções a partir de um único comando.

Roadsec 2023
área dos expositores

Roadsec 2023: nossas considerações

Nascido em 2014, o Roadsec surgiu na comunidade de segurança e abraçou outras áreas de tecnologia. Focado em conhecimento técnico, recrutamento tech e comunidade, reúne os principais nomes do mercado de segurança de informação e tecnologia em um ambiente leve e descontraído. 

Levando em conta que a segurança cibernética é vista como prioridade por 53,6% dos executivos da área de TI (IDC), faz sentido um evento focado em reunir, em um só lugar, profissionais, empresas e tecnologias inovadoras que visam exatamente abranger a área de segurança, compartilhando conhecimento e informações tão necessários na era virtual em que vivemos.

Fernanda Martins
Fernanda Martins
Formada em Letras, com pós em mídias sociais, e redatora do portal de notícias Itshow. Já escreveu para vários blogs de cultura pop, produziu conteúdo no Facebook e no Instagram sobre literatura e até escreveu algumas fanfics pela internet. Hoje, se especializa em redação e usa suas habilidades de escrita crítica e literária para trazer mais sensibilidade aos textos e continuar fazendo o que ama.
Postagens recomendadas
Outras postagens