29.2 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024
InícioCibersegurançaSegurança da informação: 7 fundamentos da segurança da informação que toda empresa...

Segurança da informação: 7 fundamentos da segurança da informação que toda empresa deve conhecer

A segurança da informação envolve uma série de estratégias e ações destinadas a proteger os dados de uma entidade contra acessos impróprios, modificações não autorizadas ou extravio. Compreender os princípios fundamentais destas práticas é vital para assegurar a confiabilidade, privacidade e acessibilidade contínua das informações da sua empresa.

7 pilares da segurança da informação

1. Sigilo

O sigilo assegura que as informações sejam acessadas exclusivamente por indivíduos que tenham permissão. Esta proteção é reforçada principalmente através de métodos de autenticação, delimitando e filtrando quem pode ter acesso. Esta barreira é essencial diante da vasta quantidade de dados sensíveis sob posse das corporações.

Sem a devida proteção do sigilo, as organizações correm o risco de sofrer ataques virtuais, perdas de informações essenciais e até mesmo o vazamento de dados de clientes, o que pode acarretar em enormes prejuízos, incluindo financeiros.

2. Consistência

A consistência assegura que as informações permaneçam no estado original desde a sua criação até o seu armazenamento. Isso significa que o dado permanece inalterado, e somente pessoas devidamente autorizadas têm permissão para alterá-lo.

Com uma gestão bem planejada, é viável usar soluções tecnológicas para restaurar informações que foram corrompidas ou excluídas por acidente.

3. Acesso contínuo

É importante que as informações empresariais sejam não apenas seguras, mas também prontamente acessíveis para usuários que possuem as devidas permissões.

Este princípio foca na operacionalidade contínua dos sistemas e na robustez da rede, assegurando que as informações estejam sempre à disposição quando necessárias. É fundamental que tais dados estejam armazenados em sistemas resilientes e com mecanismos de backup.

pessoa em um mundo digital
Imagem gerada por inteligência artificial (IA)

4. Veracidade

A veracidade refere-se à capacidade de identificar e documentar o usuário que está interagindo ou alterando os dados. Em outras palavras, quando um usuário atua sobre determinada informação, essa atividade é registrada, garantindo assim a rastreabilidade de suas ações.

5. Pessoas

As ações e decisões humanas muitas vezes são o ponto vulnerável no espectro da cibersegurança. Enquanto ferramentas e tecnologias são essenciais, a consciência e comportamento dos indivíduos são determinantes para prevenir e combater ameaças digitais. 

Muitas vezes, as falhas de segurança originam-se de colaboradores desinformados que, involuntariamente, comprometem os sistemas. Estes incidentes destacam a necessidade de investimento na formação e sensibilização dos colaboradores. Ameaças como malware, phishing e técnicas de engenharia social têm consequências significativas, que podem incluir perdas financeiras, danos reputacionais e violações de privacidade. 

6. Processos  

Estruturar processos robustos de segurança é fundamental para que as organizações mantenham a integridade e conformidade de seus dados e sistemas. Esses processos englobam políticas, diretrizes e práticas que ajudam a proteger e administrar dados sensíveis, além também de incluir a definição de responsabilidades, gestão de acessos, classificações de dados e protocolos de resposta a incidentes. 

A tríade GRC (Governança, Gestão de Riscos e Conformidade) representa pilares vitais nesta área. A governança direciona e monitora iniciativas de segurança; a gestão de riscos identifica e mitiga possíveis ameaças; enquanto a conformidade assegura a aderência às leis e normas, como a LGPD e ISO 27001

7. Tecnologias

Por mais que conscientizemos os colaboradores, o cenário de ameaças é dinâmico, e a dependência exclusiva de práticas humanas não é suficiente. A tecnologia é uma aliada indispensável na batalha contra ameaças cibernéticas. Ferramentas como firewalls, antivírus, criptografia, autenticação multifatorial e sistemas de detecção de intrusões protegem e monitoram a infraestrutura digital. 

Entretanto, uma abordagem que se limite à segurança perimetral não é completa, pois, para uma proteção abrangente, é imperativo adotar estratégias de defesa em profundidade, assegurando que, mesmo se uma camada de segurança for comprometida, outras medidas estarão em vigor. Esta abordagem multicamada visa prevenir, detectar e responder a ataques, maximizando a segurança dos ativos digitais.

Ouça agora o episódio 15 do podcast disponível no Spotify!

Principais ameaças à segurança da informação

Phishing

Phishing envolve métodos usados por cibercriminosos para extrair informações sensíveis através do envio de mensagens enganosas ou sites falsos. A defesa contra essas ameaças exige atenção a detalhes como inconsistências no texto, pedidos inesperados de dados pessoais e endereços de URL duvidosos. É essencial também manter um software de proteção atualizado e não interagir com links e downloads de origens desconhecidas.

Malware

Malwares são programas hostis feitos para prejudicar ou infiltrar-se secretamente em sistemas. A proteção contra essas ameaças implica no uso de antivírus atualizados constantemente. Evitar downloads de origens desconhecidas e ser cauteloso com links não solicitados também são práticas essenciais.

Invasões de força bruta

Os ataques de força bruta são tentativas contínuas e sistemáticas de decifrar senhas ou códigos de acesso. Para contrariar esses ataques, é essencial adotar senhas complexas, combinando diferentes tipos de caracteres, e implementar sistemas que limitam tentativas consecutivas de acesso. A ativação de verificação em duas etapas é também uma medida recomendável.

Vazamentos de dados

Vazamentos de dados podem surgir de vulnerabilidades de segurança, ações mal-intencionadas ou deslizes humanos. Defenda-se contra essas exposições garantindo a implementação de protocolos como encriptação de dados, gestão de permissões e rastreio de atividades atípicas. 

Quer saber sobre os fundamentos e as boas práticas da segurança da informação? Baixe agora o nosso material de apoio!

Dicas de boas práticas que vão proteger os dados da sua empresa

Implemente a autenticação multifator (MFA)

Confiar apenas em senhas para proteção pode não ser o suficiente diante de ameaças avançadas. Ao ativar a MFA (Autenticação de Multifator), você introduz um nível adicional de segurança, solicitando um segundo tipo de verificação além da simples senha – isso pode ser um código enviado a um smartphone, reconhecimento facial ou um dispositivo token. 

Quando combinada com outras ferramentas, como antivírus e firewalls, essa medida fortalece a abordagem de defesa em múltiplas camadas, tornando mais complexo para os ciberatacantes conseguirem acesso indevido.

Adote senhas robustas

A chave para uma proteção eficaz se inicia com senhas robustas, que formam a primeira barreira contra acessos não autorizados. Uma senha robusta contém, idealmente, uma mistura de letras (maiúsculas e minúsculas), números e símbolos. Não use detalhes pessoais facilmente deduzíveis e evite repetir senhas em várias plataformas. Além disso, é recomendável renovar as senhas periodicamente, e especialmente após qualquer suspeita de violação.

Promova a conscientização  

Navegar na internet com segurança exige conhecimento contínuo sobre boas práticas cibernéticas. Mantenha-se informado sobre ameaças emergentes e compartilhe esse conhecimento. 

Esteja sempre alerta para mensagens ou ligações estranhas solicitando detalhes de acesso, e valide a autenticidade de qualquer pedido antes de divulgar informações. A chave é reconhecer, prevenir e reagir de forma proativa aos desafios de segurança.

Atualize seus softwares regularmente 

Para assegurar a integridade dos seus sistemas, é fundamental manter todos os softwares em dia. Equipes técnicas costumam sempre desenvolver correções e melhorias para contrapor ameaças e falhas. 

Ignorar essas atualizações é como deixar uma janela aberta para invasores, portanto garanta que todos os softwares, sistemas operacionais e dispositivos estejam sempre com as versões mais recentes instaladas.

representação digital de hacker mal-intencionado, malware
Imagem gerada por inteligência artificial (IA)

Estratégias e desafios na segurança da informação

Com a escalada de ameaças cibernéticas, é indiscutível que as empresas necessitam de uma abordagem meticulosa e proativa para proteger seus ativos digitais. Como Thiago Madeira, coordenador na Nita Alimentos e convidado do 15º episódio do podcast Itshow, destaca: “É comum ver empresas ajustando suas estratégias de segurança da informação apenas para atender a compliance ou tendências, mas isso não é o mais indicado. Em segurança da informação, é fundamental conhecer sua própria estrutura, estar preparado para o ambiente adverso de cibersegurança e estar pronto para recuperação pós-incidente.”

O planejamento adequado emerge como uma pedra angular neste cenário. “A principal lição que aprendi é a importância de fazer a ‘lição de casa’, de conhecer melhor o ambiente, entender a necessidade do negócio, e montar um escopo de solução adequado. A maioria das falhas de implementação ocorre por nossa própria falta de especificação do que queremos e como deve ser aplicado na prática”, continua.

Uma governança interna sólida e dinâmica é indispensável, atuando como a linha de frente no combate a incidentes e respostas a possíveis ameaças. Esta junção entre planejamento estratégico e governança interna robusta forma o cerne da proteção no cenário cibernético atual que se encontra cada vez mais volátil. 

Para os tomadores de decisão, como aconselha Madeira, fica evidente que a segurança da informação não é apenas uma ação pontual, mas uma jornada contínua de vigilância, adaptação e evolução. É através deste compromisso constante que as empresas podem aspirar a uma resiliência verdadeira em meio às incertezas digitais contemporâneas.

Assine nossa Newsletter para receber os melhores conteúdos do Itshow em sua caixa de entrada.

Fernanda Martins
Fernanda Martins
Formada em Letras, com pós em mídias sociais, e redatora do portal de notícias Itshow. Já escreveu para vários blogs de cultura pop, produziu conteúdo no Facebook e no Instagram sobre literatura e até escreveu algumas fanfics pela internet. Hoje, se especializa em redação e usa suas habilidades de escrita crítica e literária para trazer mais sensibilidade aos textos e continuar fazendo o que ama.
Postagens recomendadas
Outras postagens